Cai a 17 número de casos suspeitos de gripe suína no Brasil

13 novos casos foram descartados por exames laboratoriais com resultado negativo na terça-feira, 19

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias,

20 Maio 2009 | 15h52

Caiu de 18 para 17 o número de pessoas com suspeita de influenza A (H1N1), a gripe suína, no Brasil, segundo informou o Ministério da Saúde nesta quarta-feira, 20. Os casos suspeitos estão sendo monitorados nos Estados de São Paulo (5), Distrito Federal (3), Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Sul (2), Amapá (1), Amazonas (1), Goiás (1), Rondônia (1) e Sergipe (1). O total de casos confirmados segue em oito.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde   

 

O ministério também acompanha outros 16 pacientes em oito Estados. Já foram descartados 289 casos. Os números referem-se a informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 9h30 desta quarta.

 

 Os casos confirmados localizam-se nos Estados do Rio de Janeiro (3), São Paulo (2), Minas Gerais (1), Rio Grande do Sul (1) e Santa Catarina (1).

 

Na terça-feira, 19, 13 novos casos foram descartados por exames laboratoriais com resultado negativo. Os testes estão sendo realizados nos três laboratórios de referência do ministério: Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro; do Instituto Adolf Lutz, em São Paulo; e do Instituto Evandro Chagas, em Belém, no Pará.

 

Pelos dados, o ministério considera que não há evidências de sustentabilidade da transmissão de pessoa a pessoa do vírus A (H1N1), tendo em vista terem sido detectados somente dois casos de transmissão autóctone (dentro do território nacional), ambos com vínculo epidemiológico com um caso procedente do México.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.