Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Câmara aprova MP que destina R$ 1,9 bilhão para vacina de Oxford

O recurso será destinado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a vacina desenvolvida pelo laboratório britânico AstraZeneca e a Universidade de Oxford. O texto segue agora para o Senado

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2020 | 17h54
Atualizado 02 de dezembro de 2020 | 18h53

BRASÍLIA - A Câmara dos Deputados aprovou a medida provisória que destina R$ 1,9 bilhão para viabilizar a compra, processamento e distribuição de 100 milhões de doses de vacina contra a covid-19. O recurso será destinado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para o projeto em desenvolvimento com o laboratório britânico AstraZeneca e a Universidade de Oxford. A votação foi simbólica, sem a contagem de votos, e o texto segue agora para o Senado. 

A matéria precisa ser aprovada até esta quinta-feira, 3, para não perder a validade, embora parte do valor já tenha sido liberado ao instituto de pesquisa quando a medida foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, em agosto.

Havia uma pressão para que a relatora, deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), destinasse parte da verba para o desenvolvimento da vacina do laboratório chinês Sinovac e do Instituto Butantã, a Coronavac. Carvalho, no entanto, não acatou a mudança. “Neste momento não caberia atender essas emendas para atender o Instituto Butantã, precisamos encontrar outros caminhos, mas neste momento, pelo reconhecimento a Fiocruz e entendendo que esse valor vem para atender uma parcela da produção dessas vacinas, teremos de buscar outros meios”, disse a deputada.

Carvalho afirmou ainda que espera que as outras vacinas em desenvolvimento no País também tenham apoio do governo e do Ministério da Saúde. “Temos outros institutos e outras vacinas sendo estudadas e esperamos que possamos ter o apoio do governo federal, do Ministério da Saúde para que essas outras vacinas contem com essa parceria para que a gente consiga ter a oportunidade de vacinar o maior número de brasileiros possível”, disse a relatora.

No dia em que assinou a MP, Bolsonaro criticou, de forma indireta, iniciativa do governo de São Paulo de negociar com a empresa chinesa para receber a Coronavac, também em testes contra a covid-19. "O mais importante, diferente daquela outra (vacina) que um governador resolveu acertar com outro país, vem a tecnologia para nós", disse no dia. 

A bancada paulista na Câmara trabalha agora para tentar destinar recursos ao Butantã em outra medida provisória, na 1004/20, que destina a verba ao Fundo Nacional de Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.