TV Câmara / Reprodução
TV Câmara / Reprodução

Câmara aprova projeto que regulamenta telemedicina em meio a crise de coronavírus

Enquanto durar a crise do coronavírus, será permitida a interpretação de exames e a emissão de laudos a distância

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2020 | 23h24

BRASÍLIA – A Câmara dos Deputados aprovou, em sessão virtual nesta quarta-feira, 25, projeto que regulamenta a telemedicina. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), queria votar um auxílio emergencial para os trabalhadores informais durante a crise do novo coronavírus, em projeto relatado pelo deputado Marcelo Aro (PP-MG), mas essa matéria deverá ser votada na sessão de quinta-feira, agendada para as 15h.

O projeto aprovado, de autoria da deputada Adriana Ventura (NOVO-SP), autoriza o uso da telemedicina no Brasil em quaisquer atividades da área de saúde, enquanto durar a crise da Covid-19. Para Ventura, este é um momento fundamental para usar a tecnologia a favor da medicina.

A telemedicina oferece suporte diagnóstico de forma remota, permitindo a interpretação de exames e a emissão de laudos médicos a distância. Por sua capacidade de agilizar processos urgentes e encurtar distâncias, a ideia é usar a telemedicina como ferramenta de enfrentamento da pandemia de coronavírus no Brasil.

Em ofício enviado ao Ministério da Saúde no dia 19 de março, o Conselho Federal de Medicina (CFM) já havia dado aval médico para a liberação da telemedicina no país. Documento assinado pelo presidente do conselho, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, detalha modalidades que a entidade passou a permitir durante o combate ao coronavírus, como a teleorientação, o telemonitoramento do paciente e a teleinterconsulta, usada para a troca de informações e opiniões entre médicos para auxílio diagnóstico. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.