EFE/EPA/Peter Foley
EFE/EPA/Peter Foley

Câmara dos EUA aprova liberação de US$ 8,3 bilhões para combate ao coronavírus

Projeto foi amplamente apoiado na Casa e será votado no Senado nesta quinta. Trump planeja transformá-lo em lei ainda nesta semana. País soma 129 infectados e 11 mortes

David Morgan and Richard Cowan, Reuters

04 de março de 2020 | 22h49

WASHINGTON - A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou por ampla maioria projeto que libera US$ 8,3 bilhões para combater o avanço do novo coronavírus e desenvolver vacinas contra a doença contagiosa. O texto foi enviado ao Senado para apreciação final. 

Refletindo a urgência entre os legisladores em abordar a crescente crise de coronavírus, a Casa aprovou por 415 a 2 o projeto, poucas horas após os negociadores revelarem seu conteúdo. A votação no Senado está programada para ocorrer nesta quinta-feira, 5.

O projeto inclui verbas para expandir a capacidade de testagem do vírus, que já infectou ao menos 129 pessoas nos Estados Unidos. Duas novas mortes foram relatadas nesta quarta, fazendo o número total chegar a 11

Com o apoio da Casa Branca, líderes do parlamento trabalharam para acelerar a apreciação do projeto para que o presidente Donald Trump possa transformá-lo em lei nesta semana. "Devemos aprovar rapidamente essa legislação. Vidas estão em risco", declarou a democrata Nita Lowey.

A medida fornecerá muito mais que os US$ 2,5 bilhões que a administração Trump buscava inicialmente. Logo após a votação, líderes democratas e republicanos receberam um comunicado sigiloso sobre os planos de contingência para o Congresso se houver um surto em Washington. Cerca de três milhões de pessoas visitam o Capitólio todo ano.   

Após a reunião, os legisladores ignoraram as perguntas dos repórteres sobre se eram necessários planos para o Congresso se reunir em outro lugar ou se o acesso público ao Capitólio poderia eventualmente ser restringido. 

Matt Gaetz, depois de um briefing fechado separado para parlamentares republicanos com o vice-presidente Mike Pence sobre os preparativos para o coronavírus em todo o país, comparou a Câmara a uma "placa de Petri" para incubação de germes. "Todos nós voamos nesses aeroportos sujos, tocamos e tiramos selfie de todos que conhecemos e depois nos reunimos", disse o congressista da Flórida. Durante a votação, Gaetz foi flagrado usaram uma máscara de gás. 

O projeto prevê mais de US$ 3 bilhões destinados à pesquisa e ao desenvolvimento de vacinas, kits de testagem e medicamentos. Não há vacinas ou tratamentos sendo utilizados atualmente, mas os pacientes podem receber um suporte intensivo. 

Gaetz disse que os Estados Unidos estão se preparando para a produção dos kits. "Não estamos onde queremos estar. O vice-presidente deixou isso claro que devemos ter mais testes." 

Numa tentativa para controlar o avanço do vírus fora dos Estados Unidos, US$ 1,25 bilhão será oferecido para esforços internacionais.  O vírus de alta transmissibilidade apareceu na China no fim do ano passado e agora está presente em 80 países. Já matou mais de 3 mil pessoas e afetou os indicadores do mercado. 

Governos locais e estaduais receberão US$ 950 milhões para apoiar os esforços regionais contra a doença.  O senador republicano Richard Shelby classificou o projeto como uma resposta agressiva e abrangente contra a crise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.