Campanha de vacinação contra pólio e sarampo termina nesta semana

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo termina nesta semana

Governo espera imunizar pelo menos 95% das crianças entre seis meses e cinco anos de idade no Brasil

Isabel Filgueiras, Especial para O Estado

24 Novembro 2014 | 18h01

SÃO PAULO - Crianças entre seis meses e cinco anos têm até a sexta-feira, 28, para participar da campanha nacional de vacinação contra o sarampo e a poliomielite. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 100 mil postos fixos e volantes estão disponíveis em todo o Brasil desde 8 de novembro. Em São Paulo, 5,9 mil locais aplicam as vacinas das 8 horas às 17 horas.

A expectativa do governo federal é imunizar 12,7 milhões de crianças contra a pólio e 10,6 milhões contra o sarampo durante a campanha. Até a última sexta-feira, 21, somente 48,1% da meta havia sido alcançada. O porcentual não inclui o número de participantes do Dia D, realizado no sábado, 22. O ministério espera que ao menos 95% do público-alvo seja imunizado até o dia 28. 

Só haverá prorrogação do prazo se o alcance da ação ficar muito abaixo do esperado. No ano passado, a campanha contra a pólio imunizou 96,6% das crianças entre seis meses e cinco anos. Em 2012, a participação chegou a 98,9%.

Apesar de o Brasil ser considerado livre de poliomielite desde 1990, a vacinação tem o objetivo de evitar a reintrodução do vírus no País. O Ministério da Saúde recomenda três doses da vacina via oral nos primeiros 12 meses de vida da criança e mais dois reforços entre 15 meses e quatro anos. Na maioria dos casos, pacientes infectados pelo poliovírus sofrem de danos irreversíveis no sistema nervoso. A doença não tem tratamento e causa a paralisia dos membros inferiores. 

Alergia. Para evitar reações adversas, crianças alérgicas ao leite de vaca devem aguardar novo chamado de vacinação para receber a tríplice viral, que previne o sarampo, a rubéola e a caxumba. A medida é uma precaução contra efeitos de um dos componentes da fórmula, a lactoalbumina hidrolisada, também presente no leite. 

Embora o sarampo seja considerado erradicado na maioria dos Estados brasileiros, casos da doença foram registrados nos últimos dois anos, em Pernambuco e no Ceará. Para prevenir a infecção, a tríplice viral deve ser tomada duas vezes no primeiro ano de vida. A tetraviral, recomendada para bebês de 15 meses, reforça a imunização. A última dose da vacina é aplicada em adultos entre 20 e 49 anos. Os sintomas mais comuns do sarampo são febre alta, tosse, conjuntivite e manchas avermelhadas pelo corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.