Campanha 'No Mothers Day' prega domingo sem festa para as mães

Objetivo é chamar a atenção para os altos números da mortalidade materna no mundo

estadao.com.br,

09 de maio de 2012 | 16h38

Uma campanha quer aproveitar a data em que as mães são mais lembradas e chamar a atenção para as 300 mil mulheres que morrem todos os anos no mundo por complicações da gravidez e do parto.

Batizada de 'No Mothers Day' e divulgada nas redes sociais pela organização Every Mother Counts, a iniciativa pretende estimular as mulheres a não celebrar o Dia das Mães no próximo domingo, dia 13. Em vez de receber telefonemas e presentes, sugere-se pedir doações a organizações que cuidam de mulheres em situações de risco.

Considera-se morte materna quando a mulher morre durante a gestação ou até 42 dias após o fim dela, por fatores relacionados à gravidez.

O Brasil registra mais de mil mortes a cada ano e está entre os países com índices mais altos de mortalidade materna. São 68 mortes para cada 100 mil nascidos vivos - a meta das Nações Unidas é cerca de 35 para cada 100 mil até 2015.

Entre as principais causas estão as doenças hipertensivas e as síndromes hemorrágicas. Estima-se que 9% dessas mortes podem ser prevenidas com atendimento adequado durante o pré-natal e o parto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.