Campinas confirma primeira morte por H1N1 no município

Mulher foi internada na segunda-feira, 20, em um hospital da rede pública, e morreu na quinta-feira, 23

Tatiana Fávaro, da Agência Estado,

24 Julho 2009 | 17h13

A Secretaria de Saúde de Campinas confirmou, na tarde desta sexta-feira, 24, a primeira morte por influenza A (H1N1) no município. Trata-se de uma mulher de 37 anos que não viajou para o exterior e não apresentava outras doenças. Ela foi internada na segunda-feira, 20, em um hospital da rede pública, e morreu na quinta-feira, 23. Este é o terceiro óbito relacionado à contaminação pela gripe A na região. 

 

Veja também:

link Ministério corrige para 29 o número de mortos pela gripe suína

link Gripe suína pode causar convulsão em crianças, dizem EUA

link Reino Unido registra 100 mil novos casos de H1N1 em 1 semana

 

Nesta semana, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou outras duas mortes. A mais recente foi a de uma mulher de 27 anos, moradora de Valinhos, que morreu no domingo, 19. Ela passou a sentir os sintomas da doença no dia 14. No dia 17, procurou o Centro de Atendimento de Urgências e Especialidades, de onde foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Valinhos, com complicações respiratórias. Não há registro de que ela tenha viajado. 

 

O primeiro óbito na região foi de uma mulher de 26 anos, moradora de Indaiatuba. A paciente teve início de sintomas no dia 7 de julho, com febre, tosse, dor de garganta e falta de ar. Foi internada no dia 16 de julho com amidalite, bronquite e sinusite, e o quadro evoluiu para pneumonia. A mulher morreu no dia 17, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde.

 

Campinas tem registros, até esta sexta-feira, de 58 casos confirmados da doença. Segundo informou a Secretaria de Saúde do município, a maioria dos pacientes já recebeu alta ou está em processo de recuperação. O órgão público investiga seis mortes suspeitas por Doença Respiratória Aguda Grave.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.