Capital paulista prorroga campanha de vacinação contra H1N1

Nas demais cidades de São Paulo ainda não há definição se haverá prorrogação

Solange Spigliatti e Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

21 Maio 2010 | 14h50

A campanha de vacinação contra o vírus H1N1 na capital paulista foi prorrogada para o próximo dia 2 de junho. A campanha deve terminar nesta sexta-feira, 21, em grande parte do País. Em alguns Estados, como Bahia e Rio Grande do Sul, a campanha também foi prorrogada. 

 

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a prorrogação da campanha foi determinada para atingir a meta de 80% para gestantes e adultos de 30 a 39 anos, que não foi alcançada.

 

As pessoas podem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e as AMAs, de segunda a sábado, das 7h às 19h. 

 

Nas demais cidades de São Paulo ainda não há definição se haverá  prorrogação, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. De acordo com a Secretaria Estadual, até quinta-feira cerca de 15 milhões foram vacinados. 

 

O Ministério da Saúde informou que ainda não trabalha com a possibilidade de prorrogar o prazo, mesmo que a meta de imunização de 80% das pessoas ainda não tenha sido atingida em alguns lugares. 

 

Rio Grande do Sul

 

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Gripe A (H1N1) prorrogou o prazo para a imunização dos adultos de 30 a 39 anos no Estado para 28 de maio.

 

 A segunda dose da vacinação das crianças, tanto para o grupo de 6 meses a 2 anos quanto para as portadoras de doenças crônicas de 2 a 9 anos, está assegurada e depende da data da primeira dose - deve ser feita 30 dias depois da primeira aplicação.

 

Para os demais grupos prioritários, a campanha termina nesta sexta. 

Bahia 

 

A campanha foi prorrogada até 28 de maio em todos os municípios baianos, para que a meta de imunizar cerca de 7 milhões de pessoas no Estado seja atingida.  

 

Até as 17 horas desta quinta-feira, 54,42% do público alvo havia tomado a vacina em todo o Estado, de acordo com dados preliminares do Ministério da Saúde. 

 

A vacinação estará disponível para todos os grupos prioritários que fizeram parte das quatro etapas da campanha (trabalhadores de saúde, crianças de seis meses a dois anos, doentes crônicos e a população de 20 a 39 anos) nas cerca de 4 mil salas de vacina em todo o Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.