AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Capital paulista prorroga campanha de vacinação contra H1N1

Nas demais cidades de São Paulo ainda não há definição se haverá prorrogação

Solange Spigliatti e Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

21 de maio de 2010 | 14h50

A campanha de vacinação contra o vírus H1N1 na capital paulista foi prorrogada para o próximo dia 2 de junho. A campanha deve terminar nesta sexta-feira, 21, em grande parte do País. Em alguns Estados, como Bahia e Rio Grande do Sul, a campanha também foi prorrogada. 

 

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a prorrogação da campanha foi determinada para atingir a meta de 80% para gestantes e adultos de 30 a 39 anos, que não foi alcançada.

 

As pessoas podem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e as AMAs, de segunda a sábado, das 7h às 19h. 

 

Nas demais cidades de São Paulo ainda não há definição se haverá  prorrogação, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. De acordo com a Secretaria Estadual, até quinta-feira cerca de 15 milhões foram vacinados. 

 

O Ministério da Saúde informou que ainda não trabalha com a possibilidade de prorrogar o prazo, mesmo que a meta de imunização de 80% das pessoas ainda não tenha sido atingida em alguns lugares. 

 

Rio Grande do Sul

 

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Gripe A (H1N1) prorrogou o prazo para a imunização dos adultos de 30 a 39 anos no Estado para 28 de maio.

 

 A segunda dose da vacinação das crianças, tanto para o grupo de 6 meses a 2 anos quanto para as portadoras de doenças crônicas de 2 a 9 anos, está assegurada e depende da data da primeira dose - deve ser feita 30 dias depois da primeira aplicação.

 

Para os demais grupos prioritários, a campanha termina nesta sexta. 

Bahia 

 

A campanha foi prorrogada até 28 de maio em todos os municípios baianos, para que a meta de imunizar cerca de 7 milhões de pessoas no Estado seja atingida.  

 

Até as 17 horas desta quinta-feira, 54,42% do público alvo havia tomado a vacina em todo o Estado, de acordo com dados preliminares do Ministério da Saúde. 

 

A vacinação estará disponível para todos os grupos prioritários que fizeram parte das quatro etapas da campanha (trabalhadores de saúde, crianças de seis meses a dois anos, doentes crônicos e a população de 20 a 39 anos) nas cerca de 4 mil salas de vacina em todo o Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.