Capital paulista registra primeira morte por dengue do ano

Menino de seis anos morreu no último dia 2, após ser atendido em hospital na Lapa, região com surto da doença

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

07 Abril 2014 | 18h01

Atualizada às 21h41

SÃO PAULO - A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo confirmou no fim da tarde desta segunda-feira, 7, a primeira morte por dengue deste ano na capital paulista. A vítima é um menino de 6 anos, morto na quarta-feira passada, 2, morador do bairro do Jaguaré, um dos distritos da zona oeste que vivem um surto da doença.

Segundo a secretaria, o garoto chegou ao Pronto-Socorro Municipal João Catarin Mezomo, na Lapa, no dia 31 de março, com histórico de febre havia cinco dias, vômito e dor abdominal. A criança recebeu a hipótese diagnóstica de dengue e foi internada e medicada. No dia 1.º deste mês, o garoto foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário, no Butantã, também na zona oeste, onde morreu um dia depois.

A secretaria informou que, no ano passado, a cidade registrou duas mortes em decorrência da doença, mesmo número de 2012. Os dados mais recentes divulgados pela pasta mostram que o Jaguaré é o bairro com a maior incidência da doença na capital paulista. Até a última quinta-feira, 3, o distrito já tinha registrado 208 casos de dengue, com um índice de incidência de 417,1 casos por 100 mil habitantes. As autoridades consideram surto a partir de 300 casos por 100 mil habitantes.

Distritos vizinhos ao Jaguaré, os bairros da Lapa e do Rio Pequeno também registram níveis preocupantes, de acordo com a Prefeitura. O primeiro tem incidência de 170,4 casos por 100 mil habitantes e o segundo, 96,2.

O último balanço mostrou ainda que, em apenas uma semana, o número de casos de dengue cresceu 55% na capital paulista. Já são pelo menos 1.166 ocorrências da doença. Uma semana antes, eram 751. Em relação ao mesmo período do ano passado, o número de casos de dengue na cidade já representa um crescimento de 15%.

Ação conjunta. O crescimento inesperado de casos na zona oeste fez com que a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo realizasse ontem uma ação contra a dengue em conjunto com a prefeitura de Osasco, município da Região Metropolitana limítrofe com a zona oeste e que também tem registrado alto índice da doença.

A operação foi concentrada na região do Parque Continental, em uma área próxima ao limite entre os dois municípios. Segundo a Prefeitura de São Paulo, as ações começaram às 6h30 com a aplicação de nebulizador (fumacê) pelas ruas do bairro da zona oeste.

Mais tarde, por volta das 9h, os cerca de 40 agentes municipais fizeram trabalhos de orientação e bloqueio de criadouros nas casas da região. Foram também distribuídas redes para a proteção das caixas d’água. A ação na região deverá durar mais dois dias.

Mais conteúdo sobre:
denguemortesão paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.