Capital tem 6 distritos com transmissão de dengue em nível de emergência

Número de casos na capital paulista chega a 6,8 mil, o quádruplo do registrado no mesmo período do ano passado

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2014 | 19h02

O número de casos de dengue registrados na cidade de São Paulo neste ano passou para 6.896, segundo balanço da Secretaria Municipal da Saúde divulgado nesta quinta-feira, 29. Seis distritos da cidade têm transmissão da doença em nível de emergência.

Há uma semana, a capital tinha 6.005 registros da doença, alta de 14,8%. Em relação ao mesmo período do ano passado, o número de casos quase quadruplicou. De janeiro a maio de 2013, foram registrados 1.794.

De acordo com a Prefeitura, a diferença não corresponde apenas a casos novos da doença, mas, sim, de pacientes que tiveram dengue em meses anteriores, mas cujo diagnóstico só foi confirmado agora, após a realização de exames. Apesar do aumento de casos, a tendência de contaminação é de queda.

O pico da transmissão aconteceu em abril, quando a cidade tinha cerca de 1 mil novos casos por semana. Nos balanços seguintes, o número de registros semanais vêm caindo.

O caso mais crítico continua sendo o do Jaguaré, na zona oeste, que tem índice de 1.943 casos por 100 mil habitantes. Ao lado de Rio Pequeno, Lapa, Raposo Tavares, Vila Jacuí e Tremembé, ele é um dos seis distritos que estão em nível de emergência.

O novo balanço mostra que outros quatro distritos passaram a ter índice de incidência acima do normal na cidade: Campo Limpo (zona sul), Cidade Líder (zona leste), Jaraguá (zona norte) e Raposo Tavares (zona oeste). Eles ultrapassaram a marca de 100 casos por 100 mil habitantes, taxa de incidência média, segundo o Ministério da Saúde. Outros 11 distritos já haviam ultrapassado esse índice nas semanas anteriores.

Desde 1º de janeiro, a cidade já registrou cinco mortes por complicações da doença. Em todo o ano passado, foram dois óbitos na capital paulista.

A Prefeitura afirma que vem realizando ações de combate a dengue em toda a cidade, como bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti, nebulização contra insetos adultos e vistoria de imóveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.