Efe
Efe

Cápsula de iniciativa privada abastecerá Estação Espacial Internacional

'Dragon' será lançada neste sábado e levará alimentos, provisões e pesquisas à ISS; Nasa firmou contrato com empresa em mais de um bilhão de dólares

Efe,

18 de maio de 2012 | 13h26

A privatização da exploração espacial dará um salto crucial com o lançamento neste próximo sábado da cápsula não tripulada Dragon que levará alimentos, provisões e pesquisas à Estação Espacial Internacional.

 

A cápsula partirá a bordo do foguete Falcon 9 na madrugada de sábado, do Cabo Canaveral, e se tudo der certo, será acoplada quatro dias depois à ISS.

 

A Nasa outorgou à empresa Space Exploration Technologies (SpaceX) um contrato de mais de um bilhão de dólares para uma dúzia de missões de naves não tripuladas com a missão de reabastecer o laboratório espacial internacional, que orbita a uns 380 quilômetros da Terra.

 

A Nasa concluiu no ano passado  programa dos ônibus espaciais, que realizaram as missões espaciais ao longo de 30 anos e que abasteciam a ISS.

 

Até que os EUA tenham outras naves para missões similares aos ônibus, a sobrevivência dos astronautas da ISS e a manutenção dela depende de naves russas.

 

Mas o governo americano, que estabeleceu novos objetivos em matéria de exploração espacial, se associou à iniciativa privada para desenvolver veículos que possam fazer a tarefa de abastecimento, enquanto ela se concentra em missões como levar enviar a primeira missão tripulada a Marte.

 

Isto é uma novidade, já que desde o início como parte da Guerra Fria e da corrida espacial entre EUA e a então URSS, ainda que tenha havido colaboração com o setor privado, isso tem sido um esforço governamental.

 

O Falcon 9 é um foguete de duas etapas propulsado pela combustão de oxigênio líquido e querosene, que mede 54,9 metros de comprimento e 3,6 de largura, e pesa mais de 300 toneladas.

 

Cerca de 180 minutos após o lançamento o segmento com os motores se separará e cairá em terra, e serão acesos os propulsores da segunda etapa.

 

Aos nove minutos de voo, a cápsula Dragon deve ser separada do segundo segmento e ficará em sua própria órbita. A cápsula abrirá as telas de captação de energia solar, e a navegação dependerá de seus próprios foguetes de direção.

 

No terceiro dia, a missão acenderá os foguetes para a primeira passada a uns 2,5 quilômetros sob a ISS. No quarto dia, a cápsula acenderá os motores e começará a aproximação. Quando estiver a uns 200 metros da estação, realizará manobras de aproximação. O astronauta americano Don Pettit, na ISS, operará o braço robótico da ISS para capturar a Dragon.

 

No dia seguinte, eles poderão desembarcar a carga, que inclui uns 400 quilos de alimentos. A Dragon deve passar 18 dias acoplada à ISS.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.