Benoit Tessier/AP
Benoit Tessier/AP

Carla Bruni diz que subestimou sua capacidade de mobilização contra a aids

Primeira-dama da França tornou-se embaixadora mundial em 2008, dois anos após perder o irmão

Efe

01 Dezembro 2010 | 17h49

PARIS - A primeira-dama da França, cantora e ex-modelo Carla Bruni-Sarkozy assegurou, nesta quarta-feira, 1º, que quando se tornou embaixadora mundial da luta contra a aids, em 2008, subestimou sua capacidade de mobilizar o povo contra o HIV.

"Me senti muito pequena perante a tarefa e a crueldade dos dados", disse Carla em um ato para arrecadar fundos para combater o vírus, que em 2006 tirou a vida de seu irmão, Virginio, e colocou sua imagem midiática a serviço do Fundo Mundial para a proteção de mães e crianças contra a aids.

Mas, por meio de seu novo trabalho, e em parte graças a uma viagem a Burkina Fasso para conhecer de perto as pessoas que lutam para combater a doença nos países com maior número de vítimas, a mulher de Nicolas Sarkozy se convenceu da possibilidade real de erradicar a transmissão de mães para filhos até 2015.

"Subestimei os pesquisadores, as instituições e os governos, e subestimei também minha própria capacidade de mobilizar o povo", admitiu.

Os dados das instituições, como Unicef e Unitaid, que participaram do ato nas dependências do Palácio do Eliseu, em Paris, mostram que nos últimos cinco anos o número de crianças que nasceram com o vírus caiu 25%. No entanto, metade das mães infectadas ainda não recebe tratamento, o que eleva para 40% as possibilidades de seus filhos nascerem contaminados.

A cada dia, mil crianças nascem com HIV porque suas mães são portadoras, um canal de transmissão quase erradicado nos países desenvolvidos, mas que atinge 2,5 milhões de crianças nas regiões mais pobres do planeta, especialmente na África.

Este ano, o Brasil foi o primeiro país das Américas a ser escolhido para sediar as celebrações do Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.