Tyrone Siu/Reuters
Tyrone Siu/Reuters

Caso de gripe aviária faz Hong Kong sacrificar 17 mil frangos

De acordo com autoridades da região de Cheung Sha Wan, ainda não se sabe a procedência da ave afetada; mercado local ficará fechado até 12 de janeiro de 2012

Efe,

22 de dezembro de 2011 | 13h18

As autoridades de Hong Kong ordenaram o sacrifício de 17 mil frangos no mercado local de Cheung Sha Wan após registrar um caso de gripe aviária em um deles, informou a imprensa local nesta quinta, 22.

Além disso, o mercado permanecerá fechado até 12 de janeiro de 2012, informou o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação da região administrativa especial, assinalando que ainda não foi definido se a ave afetada era de uma fazenda local ou importada.

O departamento irá analisar as fazendas que fornecem ao mercado e coletará mostras, assinalou o diário chinês "Global Times".

O secretário de Saúde e Alimentação de Hong Kong, York Chow, destacou que apesar dos transtornos que a ação causará aos consumidores e produtores de Hong Kong, é preciso "tomar decisivas e efetivas medidas para prevenir e controlar a expansão do vírus".

O sacrifício das aves coincide com as celebrações natalinas e do solstício de inverno em Hong Kong, onde é tradição servir um prato de carne de frango nos banquetes, pelo que muitas famílias terão de deixar esse costume de lado, destacou a imprensa local.

Mais de 300 pessoas morreram no mundo todo por gripe aviária desde que a doença foi detectada pela primeira vez, em 2003, período no qual infectou 565 pessoas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Desde lá, o vírus H5N1 provocou a morte ou o sacrifício de mais de 400 milhões de aves, gerando perdas de US$ 20 bilhões em todo o globo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.