Casos confirmados de Aids na China aumentaram 45% em 2007

Cerca de 700.000 pessoas no país estão afetadas pelo Vírus de Imunodeficiência Humana (HIV)

EFE

24 de fevereiro de 2008 | 05h59

Os casos confirmados de infectados pelo vírus HIV aumentaram na China 45% no ano passado, segundo um relatório do Ministério da Saúde publicado neste domingo no jornal "China Daily" que não dá, no entanto, números exatas. "O acusado aumento nos casos confirmados não significa que a situação esteja piorando, mas se deve à realização de mais testes de controle", disse Gao Qi, responsável da Rede de Informação de HIV/aids do país. Segundo as últimas estimativas do Governo chinês, publicadas em novembro do ano passado, cerca de 700.000 pessoas no país estão afetadas pelo Vírus de Imunodeficiência Humana (HIV) que causa a Aids (Síndrome de Imunodeficiência Adquirida), acima das 650.000 estimadas anteriormente. No entanto, no final do ano passado só estavam confirmados 223.501 casos. Os 44,7% dos casos do ano passado foram através de transmissão heterossexual, 42% através do uso de drogas intravenosas, 12,2% por transmissão homossexual, diz o relatório e 1,1% por contágio de mãe para filho. No total, diz o documento, foram confirmados mais de 4,7 milhões de casos de doenças infecciosas, 2,95% mais que no ano anterior, com 13.037 mortes. Os casos de sífilis, acrescenta, também registraram um notável aumento, de 24%. O Ministério da Saúde anunciou também que está trabalhando no primeiro programa nacional para controlar a expansão da aids entre os homossexuais, embora não tenha detalhado que tipo de medidas adotará.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.