EFE/EPA/SEDAT SUNA
EFE/EPA/SEDAT SUNA

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Casos de coronavírus passam de 200 mil e OMS fala em ameaça sem precedentes

Organização Mundial da Saúde destacou novamente a necessidade de comprometimento dos governos e dos indivíduos para reduzir o avanço da pandemia

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 14h20

   

Autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmaram nesta quarta-feira, 18, que o novo coronavírus é hoje "inimigo comum da humanidade" e representa uma ameaça sem precedentes. A instituição afirmou que os casos de pessoas infectadas pela pandemia já ultrapassam os 200 mil, com 8 mil mortes. Quatro em cada cinco casos estão concentrados na Europa e na região do Pacífico Ocidental. 

"O coronavírus representa uma ameaça sem precedentes, mas também é uma ocasião sem precedentes para nos unirmos contra um inimigo comum, um inimigo da humanidade", afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS em entrevista à imprensa.  No Brasil, há 291 casos confirmados em 16 Estados e o Distrito Federal

"A OMS continua pedindo a todos os países que implementem uma abordagem abrangente, com o objetivo de diminuir a transmissão do coronavírus e reduzir a curva (de avanço da epidemia). Essa abordagem está salvando vidas e ganhando tempo para o desenvolvimento de vacinas e tratamentos", afirmou Ghebreyesus. Segundo ele, essa estratégia foi efetiva na Coreia do Sul, que já teve 800 casos e, após medidas de restrição de circulação de pessoas, tem apenas 90. 

O diretor da OMS reforçou a mensagem de que os países e os indivíduos precisam tratar a questão com a seriedade. "Para suprimir e controlar a epidemia, os países devem isolar (os infectados), testar, tratar e rastrear (a origem da contaminação). Não presuma que sua comunidade não será afetada. Prepare-se como se fosse (acontecer). Não presuma que você não será infectado. Prepare-se como se fosse", aconselhou. 

A OMS informou que está organizando um estudo com dados de vários países para identificar tratamentos ainda não testados. A medida é uma forma de acelerar a busca por potenciais terapias e medicamentos para combater a infecção. A instituição também recomendou o cancelamento de eventos esportivos, shows e outras situações que podem reunir muitas pessoas. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Na terça, a OMS pediu que os países adotassem as medidas mais ambiciosas possíveis para evitar o avanço da pandemia. "Todos os países, sem exceção, precisam adotar as ações mais ambiciosas para parar ou frear a ameaça do coronavírus. Ações ambiciosas incluem ações comunitárias. Pensar 'isso não me diz respeito' não é uma opção", afirmou o diretor regional da OMS na Europa, Hans Kluge, lembrando que a região é o epicentro da pandemia. 

Receba as principais atualizações sobre o coronavírus no seu email. Clique aqui e se inscreva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.