Casos de gripe suína no mundo sobem para 1.893, diz OMS

Órgão reconhece casos em 24 países, sendo que somente dois tiveram mortes pela doença, EUA e México

da Redação,

06 Maio 2009 | 17h28

A OMS elevou para 1.893 o número de casos de gripe suína relatados em todo o mundo nesta quarta-feira, 6. A doença, provocada pelo vírus influenza A (H1N1), têm o maior número de casos confirmados no México, 942, incluindo 29 mortes. Os Estados Unidos já relataram 642 infectados, além de duas mortes.

 

Veja também

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

Ao todo, a OMS reconhece casos em 24 países do mundo, sendo 22 sem mortes. São eles: Áustria, Canadá, China, Hong Kong, Colômbia, Costa Rica, Dinamarca, El Salvador, França, Alemanha, Guatemala, Irlanda, Israel, Itália, Holanda, Nova Zelândia, Portugal, Coreia do Sul, Espanha, Suíça, Suécia e Reino Unido. Os dados da OMS são um pouco menores do que a soma dos números divulgados pelos governos, e que constam do mapa do estadao.com.br, porque o órgão só atualiza suas informações depois de receber confirmação oficial.

 

 

A OMS disse que está pedindo aos países que tomaram medidas "significativamente diferentes" para combater a gripe suína (influenza A H1N1), como a restrição de viagens internacionais, que justifiquem suas decisões. "Países que estão adotando medidas que sejam significativamente diferentes ou que interfiram no tráfego internacional devem apresentar à OMS a lógica dessas decisões para a saúde pública e informações científicas relevantes para essas medidas", disse o porta-voz Gregory Hartl.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.