Reuters
Reuters

Casos de H1N1 superam 250 no Japão; Tóquio tem 1° caso

Ninguém morreu em decorrência da doença e a maioria dos casos têm sido da forma branda

Reuters

20 Maio 2009 | 15h04

TÓQUIO - O Japão confirmou o primeiro caso da gripe H1N1 em sua densamente povoada capital, Tóquio, nesta quarta-feira, 20, enquanto o número de casos subiu para mais de 250 na parte oeste do país.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde   

Ninguém morreu em decorrência da doença no Japão e a maioria dos casos, que afeta mais jovens, têm sido da forma branda, disse um porta-voz do Ministério da Saúde.

A Organização Mundial da Saúde, que tem acompanhado de perto a situação no Japão, disse nesta quarta-feira que o vírus H1N1 já matou 80 pessoas e mais de 10.000 casos foram confirmados em todo o mundo.

Em Tóquio, uma estudante de 16 anos, que retornou recentemente de Nova York, testou positivo para o novo vírus, disse uma autoridade do governo metropolitano de Tóquio.

Cerca de 4.500 escolas, a maioria nas administrações de Osaka e Hyogo, a cerca de 400 quilômetros de Tóquio, suspenderam suas aulas até o final desta semana. O governo local da vizinha Shiga, que confirmou seu primeiro caso nesta quarta-feira, também pediu que suas escolas interrompam as atividades.

Um campus universitário em Shiga também foi fechado, afetando 18.000 estudantes, após um deles ter sido infectado pelo vírus.

O ministro da Saúde japonês, Yoichi Masuzoe, disse em coletiva de imprensa nesta quarta-feira que um estudo em 43 casos na cidade de Kobe, em Hyogo, sugeriu que o novo vírus estava se comportando de maneira similar ao da gripe convencional e que nem todas as pessoas diagnosticadas com o novo vírus precisariam ser hospitalizadas.

O governo está considerando implementar um novo plano na sexta-feira para conter a propagação do vírus, que não tem sido tão letal quando a gripe aviária, para a qual existem planos já criados.

(Reportagem de Isabel Reynolds e Yoko Nishikawa)

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.