Casos de malária caem pela metade nas Américas nesta década

Oscilações no número de registros no Brasil pode ser visto como um sinal de redução nos últimos anos, diz OMS

Efe,

15 Dezembro 2009 | 13h04

O número de casos de malária na região das Américas caiu de 1,14 milhão em 2000 para 572 mil em 2008, com o Brasil apresentando oscilações no número de casos - o que pode ser associado a uma redução -, segundo o Relatório Mundial sobre a Malária 2009, divulgado nesta terça-feira, 15, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Veja também:

linkAumento de verbas dá resultado contra malária, diz OMS

linkMalária provoca morte de bióloga brasileira na África

linkBrasil receberá R$ 100 milhões para combater malária 

 

Apesar disso, a transmissão dessa doença continua sendo registrada em 21 países da região, e cerca de três em cada dez pessoas correm um variável nível de risco de contrair a doença.

 

O estudo afirma que, em 12 países da região, os casos de malária diminuíram nesse período em mais de 50% (Argentina, Belize, Bolívia, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Nicarágua, Paraguai e Suriname).

 

Quatro países (Argentina, El Salvador, México e Paraguai) se encontram na fase de eliminação ou pré-eliminação da malária.

 

Além do Brasil, mais quatro países (Colômbia, Costa Rica, Panamá e Peru) informaram sobre oscilações no número de casos de malária entre 2000 e 2008, o que a OMS considera que pode ser associado com uma redução destes nos últimos anos.

 

Apenas três países (República Dominicana, Haiti e Venezuela) informaram sobre um aumento de casos nesse período, mas, no caso do Haiti, está relacionado ao aumento do número de exames de sangue realizados a cada ano.

Mais conteúdo sobre:
malaria Americas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.