Reprodução
Reprodução

Estado do Ceará prorroga isolamento social por mais 15 dias

Entre as medidas que serão endurecidas está a obrigatoriedade do uso de máscaras

Caio Faheina, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2020 | 18h34

FORTALEZA - Nesta terça-feira, 5, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou que vai intensificar o isolamento social a partir de sexta-feira, 8, mas não confirmou possibilidade de restrição total de serviços não essenciais, o chamado 'lockdown'. Entre as medidas que serão endurecidas estão a obrigatoriedade do uso de máscaras, já a partir desta quarta-feira, 6, e a diminuição de circulação de pessoas e veículos em espaços públicos, como praias, praças e parques.

"Com ações mais restritivas, com controle de pessoas e veículos, diminuiremos a velocidade com que esse vírus seja propagado", disse Santana em live no seu perfil da rede social Instagram.

Do Palácio da Abolição, Santana prorrogou o decreto de isolamento social, que seria encerrado nesta terça-feira. A determinação é de que a nova ordem vigore a partir de sexta-feira, 8, até o próximo dia 20. Esta é a quarta vez que o decreto é renovado no Estado.

Segundo o prefeito Roberto Cláudio (PDT), que acompanhava o governador durante transmissão ao vivo, outra medida que será adotada é a fiscalização na entrada e na saída de Fortaleza. A ação será conduzida pelas Polícias Militar e Civil, pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE).

O Corpo de Bombeiros, a Polícia Rodoviária Estadual e agentes da Secretaria da Saúde também vão auxiliar no cumprimento da determinação.

Outra medida de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no Estado é o combate à desinformação. Na quinta-feira, 30 de abril, o governador Camilo Santana sancionou lei que aplica multa para quem divulgar, "por meio eletrônico ou similar, notícias falsas - fake news - sobre epidemias, endemias e pandemias no Estado do Ceará".

De acordo com a publicação no Diário Oficial do Estado, fica sujeito à aplicação de multa de R$ 50 a R$ 500 quem divulgar notícias falsas. "A multa aplicada será revertida em apoio e tratamento de epidemias, endemias e pandemias" no estado cearense, conforme o documento.

No Ceará, 163 dos 184 municípios têm casos comprovados de covid-19. Ao todo, 11.256 casos do novo coronavírus foram confirmados e outros 22.902 estão em investigação. A capital, Fortaleza, apresenta o maior número de casos positivos para o vírus: 8.352 (74,2%). São 703 mortes registradas no estado cearense até esta terça-feira, 5.

Ao descumprir o novo decreto, segundo o Município, o infrator terá responsabilização cível, administrativa e criminal, "sem prejuízo do uso da força policial, se necessário para prevenir ou fazer cessar a infração". "Para definição e dosimetria da sanção, serão observadas a gravidade, as consequências da infração e a situação econômica do infrator", como consta no Diário Oficial do Município. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.