Células-tronco embrionárias e induzidas parecem equivalentes, diz estudo

As células iPS são criadas a partir da introdução de três genes em células adultas

estadao.com.br,

05 de agosto de 2010 | 16h07

Células-tronco embrionárias humanas e células adultas reprogramadas para um estado semelhante ao de células tronco, chamas células de pluripotência induzida, ou iPS, têm muito poucas diferenças em sua expressão genética e são praticamente impossíveis de distinguir no estado de cromatina, dizem pesquisadores do Instituto Whitehead. O resultado aparece na revsita especializada Cell Stem Cell.

As células iPS são criadas a partir da introdução de três genes em células adultas. Esses fatores de reprogramação empurram as células maduras para um estado mais flexível, semelhante ao de células-tronco embrionárias. Em teoria, as iPS também devem ser capazes de dar origem a diversos tipos de tecido.

 

Além de contornar os questionamentos éticos que cercam o uso de células extraídas de embriões, iPS podem ser criadas a partir do corpo do próprio receptor de um eventual transplante, evitando o risco de rejeição.

 

Desde que as primeiras iPS surgiram em 2006, suas semelhanças e diferenças em relação às células embrionárias têm sido alvo de debate.

 

para avaliar a questão da equivalência, os pesquisadores Garrett Frampton e Matthew Guenther analisaram os padrões de expressão genética e a chamada estrutura de cromatina das células. Variações do DNA nessa estrutura podem afetar a expressão genética, mas Guenther e Frampton determinaram que as células-tronco embrionárias e iPS são praticamente idênticas nos dois critérios.

 

"Neste estágio, não temos como provar que sejam absolutamente idênticas", disse Richard Young, responsável pelo laboratório onde o estudo foi realizado. "Mas a tecnologia disponível não revela diferenças". Segundo ele, isso sugere que as células IPS poderão vir a ser úteis como células-tronco personalizadas no futuro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.