Células-tronco são testadas em cães com distrofia muscular

Estudo de pesquisadores da Fundação San Raffaele del Monte Tabor, de Milão (Itália), publicado ontem na revista científica Nature, mostrou que aplicações de células-tronco foram usadas com sucesso em cachorros que sofriam de distrofia muscular. Após o tratamento, os animais que estavam debilitados e com dificuldades de locomoção conseguiram andar e pular mais rápido. De acordo com os cientistas, esse tipo de tratamento pode ser útil no futuro em seres humanos, ajudando a minimizar e retardar os efeitos da distrofia muscular.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2006 | 11h35

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.