Células-tronco tumorais podem ser chave para cura do câncer

Essas células representam cerca de 1% das que formam um tumor e são responsáveis por suas metástases

Efe

20 de outubro de 2008 | 14h25

Cientistas italianos descobriram que as células-tronco tumorais - que representam cerca de 1% das que formam um tumor - são as responsáveis pelas metástases do câncer e, portanto, podem ser a chave de sua cura.   Veja também:  Entenda o uso das células-tronco    Esta descoberta, que pode revolucionar o modo de combater os tumores, é fruto de uma pesquisa de cientistas Instituto Superior de Saúde (ISS) e da Universidade La Sapienza de Roma, entre outras instituições, que assistem nesta segunda-feira, 20, ao Congresso Nacional da Sociedade de Cirurgia italiana na capital do país.   "Descobrimos que as células-tronco tumorais, apesar de constituírem 1% ou 2% da população do total das células tumorais, são as mais importantes do ponto de vista da agressividade, determinando as metástases e reaparições" do câncer, comenta Ruggero De Maria, oncologista do ISS.   "Devemos identificar estas células através de uma operação de 'estudos de imagem computadorizada'. Só assim podemos pensar em intervir depois para desativar o tumor", acrescenta.   Os pesquisadores italianos, em colaboração com cientistas americanos, analisam agora o comportamento das células-tronco tumorais para averiguar que medicamentos podem ser mais efetivos para conseguir curar os tumores, inclusive, sem necessidade de intervenção cirúrgica.

Tudo o que sabemos sobre:
células-troncosaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.