Centenas contraem virose desconhecida em Mongaguá

Pelo menos 350 pacientes com vômitos e diarreias permaneceram em tratamento na cidade litorânea

Rejane Lima, da Agência Estado,

06 de janeiro de 2009 | 19h35

Centenas de pessoas contraíram uma virose ainda desconhecida neste fim de ano em Mongaguá, na Baixada Santista. Pelo menos 350 pacientes com mal-estar, vômitos e diarreias permaneceram em tratamento no Pronto Socorro de Mongaguá por algumas horas, porém a rede de saúde já registrou, desde o dia 26 de dezembro, mais de mil atendimentos de casos com os mesmos sintomas em menor gravidade. Com 40 mil habitantes fixos e cerca de 300 mil pessoas durante o final do ano, os números chamaram à atenção da Diretoria de Saúde do Município, que agora aguarda os resultados dos laudos que vão identificar o vírus causador da doença. "Já sabemos que é viral porque os hemogramas dos pacientes mostram que há aumentos de linfócitos e como no caso em questão os leucócitos estão normais, não deve ser bacteriano", explicou o Diretor Municipal de Saúde, Juan Albornoz, acreditando que se trata de um rotavírus. "São os mais comuns no verão", completa. Segundo o médico, os sintomas começam com uma leve cólica, que vai aumentando, depois vêm náuseas e vômitos e em seguida, a diarreia. A dica de Albornoz é para moradores e turistas se hidratarem bastante, com água e suco de frutas. "As pessoas também devem evitar alimentos gordurosos e ficar se expondo muito tempo ao sol para não entrar em processo de desidratação e devem procurar o PS assim que começarem a sentir algum desconforto abdominal", explicando que, sendo medicados logo, os pacientes permanecem menos tempo no Pronto Socorro e evitam que a doença evolua.

Tudo o que sabemos sobre:
Verão2009verão 2009saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.