Centenas podem morrer envenenados por chumbo na Nigéria, diz especialista

Mineração ilegal em vilarejos espalhou chumbo no solo e contaminou moradores

BBC Brasil, BBC

07 Junho 2010 | 23h06

Cerca de 163 pessoas morreram envenenadas por chumbo no norte da Nigéria e, de acordo com um especialista em descontaminação, outras centenas podem morrer.

As vítimas - a maioria delas, crianças - morreram nas últimas semanas, quando moradores de vilarejos remotos começaram a escavar o solo à procura de ouro em áreas contendo altas concentrações de chumbo.

Autoridades locais dizem que há exagero nas previsões do especialista e anunciaram medidas para limpar as regiões contaminadas. Entre as providências está a remoção da camada superficial do solo em regiões afetadas e substituição do material retirado com terra limpa.

Há 25 crianças internadas e outras 80 deverão receber tratamento nos próximos dias.

O especialista Richard Fuller, do Blacksmith Institute em Nova York, que trabalha para limpar os vilarejos contaminados, disse à BBC que testes revelaram que centenas de crianças estão contaminadas com altas quantidades de chumbo.

Segundo Fuller crianças são mais vulneráveis ao envenenamento com chumbo do que os adultos e isso "deve provavelmente levá-las a morrer num futuro próximo".

Temores Infundados

Mas o diretor de Saúde Pública do Estado de Zamfara, Sa'adu Idris, disse à BBC que os temores são infundados.

Idris disse que apenas uma morte clínica por envenenamento por chumbo foi registrada nas últimas três semanas, as outras teriam ocorrido anteriormente.

Ele também disse que os vilarejos serão descontaminados dentro das próximas quatro semanas.

Máquinas serão usadas para escavar 5 cm da camada superficial do solo no vilarejo remoto de Yar'Gailma e substituí-la com terra limpa.

O correspondente da BBC no Estado de Zamfara, Haruna Shehu Tangaza, disse que as casas do vilarejo não serão demolidas. O chão das moradias será coberto com cimento para proteger os moradores.

Segundo correspondentes, o governo de Zamfara está sendo criticado pela lentidão na identificação da contaminação tóxica.

Na semana passada, um porta-voz do governo negou a jornalistas que houvesse qualquer contaminação por chumbo.

As mortes foram descobertas durante o programa anual de imunização do país, quando equipes de saúde perceberam que não havia quase nenhuma criança em vários vilarejos.

Os habitantes disseram que as crianças haviam morrido de malária, mas uma equipe da organização internacional de saúde Médicos Sem Fronteiras fez exames de sangue na população e a contaminação foi revelada.

Corrida do ouro

Recentemente, as autoridades de Zamfara contrataram uma empresa chinesa pra extrair ouro da área, disse o correspondente da BBC.

Moradores decidiram tentar fazer escavações por conta própria - uma atividade proibida por lei na Nigéria.

As escavações liberaram quantidades letais de chumbo presente no solo. Acredita-se que o material tóxico foi parar em rios e lugares onde as crianças brincavam.

As autoridades instalaram dois postos de saúde no local para tratar moradores que apresentam sintomas de envenenamento por chumbo.

Alguns temem que a contaminação possa se espalhar durante a estação chuvosa, que acaba de começar. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.