Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Cerca de nove ciclistas são internados por dia em São Paulo

Lesões mais frequentes são traumatismos cranianos e da coluna vertebral devido à falta de equipamentos de proteção

estadao.com.br,

28 de junho de 2012 | 12h15

 Um levantamento da Secretaria de Estado da Saúde revelou, nesta quinta-feira, 28, que cerca de nove ciclistas são socorridos diariamente em hospitais públicos vítimas de acidentes de trânsito no Estado de São Paulo. Desses nove internados, um chega a morrer, de acordo com o estudo. Somente no ano de 2011, 3,4 mil usuários de bicicletas foram internados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O chefe do Grupo de Trauma Ortopédico do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP, Jorge dos Santos Silva, explica que como, na maioria das vezes os ciclistas circulam pelo trânsito sem as principais proteções, as lesões mais frequentes acabam sendo traumatismos cranianos e da coluna vertebral, além das fraturas da pelve (bacia), dos ossos do antebraço, do fêmur e da tíbia.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), disponibilizou algumas recomendações de segurança para os ciclistas:

Velocidade: como a bicicleta é o veículo mais frágil, o aumento da velocidade implica o aumento do risco, portanto, a CET informa que, no trânsito é melhor evitar altas velocidades com o transporte.

Vias de trânsito rápido: por lei, é proibido o tráfego de bicicletas em vias expressas e em Rodovias. O tráfego em Avenidas, apesar de não ser proibido, é uma prática pouco segura para o ciclista.

Calçada: a calçada é de uso exclusivo do pedestres.

 

Equipamentos de segurança: o capacete é um equipamento de segurança recomendável para o ciclista e é essencial que ele seja de boa qualidade. Além disso, é obrigatório o uso de refletivos nos pedais, laterais, dianteira e traseira da bicicleta. Para melhorar a visibilidade do ciclista pelos demais motoristas, recomenda-se o uso de roupas claras e acessórios refletivos.

Tráfego pelo corredor: apesar de ser permitido circular entre veículos parados no "corredor" formado entre os carros junto ao bordo da pista, é necessário ressaltar que o ciclista estará se expondo a um risco muito grande.

Posicionamento no semáforo: é imprescindível que o ciclista se posicione à frente dos carros parados no semáforo, de modo a conseguir reservar seu lugar na pista.

A CET também afirma que a bicicleta é definida como veículo não motorizado e deve se sujeitar a todas as sinalizações implantadas nas vias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.