Chile, Panamá e Hong Kong registram novos casos de gripe suína

Chilena viajou no mesmo avião da primeira contagiada; caso de Hong Kong é de estudante que vive nos EUA

Efe,

18 Maio 2009 | 01h49

Após o Japão registrar novos casos da gripe suína e decidir pelo fechamento de escolas, Chile, Panamá e Hong Kong também anunciaram o crescimento do número de pessoas infectadas pela doença.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

No Chile, o ministro da Saúde, Álvaro Erazo, confirmou o segundo caso da gripe suína no país. Uma mulher de 25 anos que viajou no mesmo avião procedente da República Dominicana e com escala no Panamá no qual chegou a primeira contagiada é a nova vítima.

 

A jovem, amiga da cidadã chilena de 32 anos que permanece no Hospital do Tórax da capital chilena, permanece isolada e sob observação em uma clínica privada de Santiago do Chile "em boas condições de saúde e recebendo o tratamento antiviral", explicou Erazo em entrevista coletiva.

 

O ministro afirmou que também são suspeitas de portar o vírus duas pessoas que não viajavam junto às infectadas, em um voo a partir do destino turístico de Punta Cana, mas que tiveram contato com elas.

 

As autoridades panamenhas de Saúde informaram um novo caso do vírus da gripe suína, aumentando para 55 o número de contagiados no país. O Ministério da Saúde do Panamá assinalou em comunicado que, do total de casos confirmados, 27 são do sexo masculino e 28 do sexo feminino; 36 são menores de 15 anos, 15 estão entre os 20 e 49 anos, enquanto os quatro restantes têm mais do que esta idade.

 

De acordo com a localização geográfica, a maioria dos casos pertence à província do Panamá e só um ao interior do país.

 

Em Hong Kong, um estudante de 23 anos, de Cantão, que vive nos Estados Unidos, é o terceiro caso registrado da doença no território.

 

O estudante usou uma máscara durante todo o trajeto dos Estados Unidos para Hong KOng, e, uma vez no aeroporto, foi conduzido de ambulância para o hospital de doenças infecciosas Princesa Margaret, onde se encontra em "condição estável".

 

Enquanto isso, 22 passageiros e um membro da tripulação do voo da Cathay Pacific no qual o estudante chegou a Hong Kong na noite do sábado, foram postos em quarentena. Segundo os responsáveis de saúde nenhum deles desenvolveu sintomas da gripe.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.