REUTERS/Aly Song
REUTERS/Aly Song

China conduzirá testes em humanos de nova vacina contra o coronavírus

Imunizante foi desenvolvido pela Academia Militar de Ciências e se junta a esforços chineses e internacionais de frear a propagação do vírus. Na China, 3,2, mil pessoas morreram

EFE, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 01h34

PEQUIM - O Ministério da Defesa da China divulgou nesta terça-feira, 17, um comunicado em que diz ter desenvolvido com êxito uma vacina contra o novo coronavírus, e já autorizou testes em humanos. O texto não especificou quando essa fase terá início. Segundo a nota, o ministério aprovou os testes clínicos de um imunizante produzido pela Academia Militar de Ciências.

A vacina foi desenvolvida pela equipe da epidemiologista Chen Wei. Segundo Chen, o imunizante foi desenvolvido seguindo padrões internacionais e regulações locais. Está sendo preparada uma produção em grande escala, segura e efetiva. Nesta terça, várias instituições chinesas anunciaram que darão andamento aos testes para comprovar a eficácia de várias vacinas que o país está desenvolvendo. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Segundo o Ministério da Educação chinês, há uma vacina baseada em vetores virais da gripe que se encontra atualmente em fase experimental em animais e que terá testes clínicos em abril com a participação das universidades de Pequim, Tsinghua e Xiamen.

O subdiretor da Comissão Municipal de Saúde de Xangai, Yi Chengdon, afirmou que cientistas chineses desenvolveram uma vacina na plataforma mRNA que entrará em testes também em abril. Yi apontou que o imunizante foi desenvolvido com base em proteínas virais derivadas das proteínas estruturais. Desde o fim do ano passado, 3,2 mil pessoas morreram em decorrência do coronavírus na China, onde a doença deixou outros 80,8 mil infectados. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
China [Ásia]vacinacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.