REUTERS/Hannah McKay
REUTERS/Hannah McKay

Nº de infectados por coronavírus tem salto com mudança de método de diagnóstico

Quantidade de infectados chegou perto dos 60 mil, com 14,8 mil novos casos. Mortes chegaram a 1.350. Comissão disse que forma de detectar doença foi alterada para antecipar tratamento

Agências internacionais, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2020 | 23h54
Atualizado 13 de fevereiro de 2020 | 20h33

PEQUIM - A província chinesa de Hubei, epicentro da epidemia de coronavírus, registrou 242 novas mortes pela doença, o que fez o número total de vítimas ultrapassar a marca de 1.350. O novo balanço das autoridades chinesas confirmou 14.840 novos casos de contágio na região, elevando o total de infectados para próximo dos 60 mil

O crescimento acentuado ocorre depois de autoridades locais terem anunciado uma mudança na forma de diagnóstico dos casos de Covid-19, nova nomenclatura da doença.

Em um comunicado, a comissão de saúde de Hubei disse que a partir de agora passaria a incluir casos diagnosticados clinicamente. Isso significa que imagens do pulmão em pacientes suspeitos passam a ser consideradas suficientes para confirmar o vírus, no lugar dos exames de DNA.

De acordo com a comissão, a mudança representa a antecipação do tratamento para pacientes e uma uniformização com os procedimentos de classificação usados em outras províncias. A entidade acrescentou que fez a mudança "na medida em que a compreensão sobre a doença se aprofundou, e a medida que acumulamos experiência no diagnóstico e tratamento". 

Tudo o que sabemos sobre:
China [Ásia]epidemiacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.