China nega contágio de vírus de gripe aviária entre humanos

Homem morreu no último dia 31; testes sugerem que contágio aconteceu a partir de aves

Reuters,

02 de janeiro de 2012 | 11h53

 O último vírus da gripe aviária, que causou a morte de um motorista de ônibus de 39 anos no último dia 31, no sudeste do país, não é transmissível entre humanos, afirmam autoridades chinesas.

"O vírus encontrado no paciente é 90% similar ao vírus H5N1 encontrado anteriormente em patos na china, o que sugere que muito provavelmente o homem foi infectado pelo contato direto com a ave", dz um comunicado o Centro de Prevenção e Controle de Doenças de Shenzhen, província onde ocorreu o caso.

"Ele ainda não se transmite entre pessoas", sinaliza a entidade. O Centro para Proteção e Controle de Saúde de Hong Kong disse que a variedade do vírus era similar à encontrada em aves silvestres de Hong Kong.

Uma análise dos genes também aponta que o vírus poderia ser combatido com amantadina, um remédio antiviral comum.

A vítima, que morava em Shenzhen, do outro lado da fronteira de Hong Kong, morreu por falência múltipla dos órgãos uma semana após ser internado com febre.

O vírus normalmente é encontrado em aves, mas ocasionalmente pode ser transmitido aos humanos. Os cientistas temem que possa sofrer mutações e chegar a uma forma fácil de ser transmitida entre pessoas.

Há duas semanas, Hong Kong sacrificou 17 mil frangos de um mercado atacadista de aves após um teste feito em um frango morto apontar a presença do vírus da influenza aviaria H5N1, e suspendeu a importação de frangos vivos do país durante 21 dias como esforço para prevenir a propagação da doença.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe aviáriaChinaHong Kongfrango

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.