China pretende lançar nova sonda para Lua ainda neste ano

A China é o terceiro país a demonstrar a capacidade de enviar um ser humano ao espaço por meios próprios

REUTERS, REUTERS

10 Setembro 2010 | 14h14

Ilustração da sonda Chang'e-1, que partiu em 2007, feita pela Nasa. Divulgação

 

A China lançará sua segunda missão de exploração lunar ainda em 2010, impulsionando o esforço do país para ascender como uma potência espacial e, um dia, tornar-se capaz de realizar pousos lunares, informa a mídia estatal.

 

Veja também:

link Obama pede 'uso responsável' do espaço e propõe cooperação intrernacional

 

Um engenheiro que supervisiona o programa chinês de exploração lunar, Wu Werein, disse que o trabalho na sonda Chang'e-2 "prossegue como esperado", diz o jornal Diário do Povo.

 

"Ela está agora no estágio de testes pré-lançamento e preparativos, e o plano é realizar um voo de teste até o fim do ano", disse Wu, segundo o diário.

 

A Chang'e tem o nome de uma deusa mitológica chinesa que voou para a Lua. Uma missão bem-sucedida marcaria mais um avanço no plano chinês de rivalizar com EUA e Rússia em termos de exploração espacial.

 

Em 2003, a China se tornou o terceiro país, atrás de Rússia e Estados Unidos, a demonstrar a capacidade de enviar um ser humano ao espaço por meios próprios.

 

Autoridades chinesas dizem estar estudando o envio de astronautas à Lua entre 2025 e 2030. A China enviou sua primeira sonda orbital à Lua, a Chang'e-1, em outubro de 2007.

 

O engenheiro Wu disse que a Chang'e-2 chegaria 15 km da superfície lunar, testando a tecnologia necessária para a realização de um pouso não-tripulado que pode acontecer por volta de 2013.

 

O temor de uma corrida armamentista espacial entre EUA, China e outras potências aumentou desde que os chineses usaram um míssil para abater um de seus próprios satélites, em janeiro de 2007.

Mais conteúdo sobre:
luachina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.