Chioro diz que seria 'inconsequente' se não se preocupasse com dengue na Copa

De acordo com o Ministro da Saúde, o período de maior transmissão já terminou, mas é preciso ficar atento todos os 365 dias do ano

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

14 Maio 2014 | 20h22

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que seria inconsequente se afirmasse não estar preocupado com a dengue no período da Copa. "Temos de ficar preocupados 365 dias do ano", afirmou. Apesar de São Paulo registrar um aumento de casos graves em 2014- até 19 de abril, foram 1.022 ante 359 confirmados em 2013 -, Chioro informou que o período do ano de maior transmissão já terminou. "Mas temos de ficar atentos, a prevenção deve ser feita durante todo o ano."

O número de casos graves de dengue no Brasil registrou este ano uma redução de 64% em relação a 2013. Até abril, foram confirmados 1.932 pacientes com a forma grave da doença. Ano passado, eram 5.384 casos. O número de óbitos provocados pela dengue também caiu 89% no período: de 435 para 69.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.