Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Chioro pede a Renan ajuda para barrar projeto contra Mais Médicos

Segundo o ministro da Saúde, aprovação da proposta apresentada pelo PSDB significaria o fim do programa que leva médicos a cidades onde profissionais brasileiros não querem ir

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 19h07

BRASÍLIA - Apesar do clima tenso entre governo e Congresso, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, pediu ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nesta quinta-feira, 26, que trabalhe para rejeitar a proposta de decreto legislativo apresentada pelo PSDB que derruba o acordo com Cuba no âmbito do programa Mais Médicos.

Segundo o ministro, a aprovação do projeto significaria "o fim do programa". "Eu espero que haja, de fato, a rejeição desse projeto de decreto legislativo para que o programa Mais Médicos possa continuar", disse Chioro ao deixar o gabinete do presidente do Senado.

O projeto apresentado no início da semana visa a anular o termo de ajuste de cooperação técnica firmado entre o Brasil e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que garante o pagamento dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham atualmente no País.

Os tucanos citaram como justificativa para a apresentação da proposta uma reportagem publicada pela revista Veja, que reúne depoimentos de funcionários do Ministério da Saúde e da Opas admitindo que o termo de ajuste foi usado para evitar que o tema fosse examinado pelo Congresso Nacional, exigência formal para se firmar um acordo bilateral.

Mais conteúdo sobre:
Mais Médicos Arthur Chioro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.