Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Cidade de SP tem recorde de 420 sepultamentos em só um dia; alta em março foi de 63%

Total foi registrado na última terça-feira, 30, mesma data que o Estado teve seu maior número de mortes pela covid até agora

João Ker, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2021 | 21h57

A cidade de São Paulo realizou 420 sepultamentos na última terça-feira, 30, o maior número registrado na capital desde o início da pandemia do coronavírus. Na mesma data, o Estado havia atingido o seu recorde de mortes pela covid, com 1.209 óbitos em apenas 24 horas. 

O mês de março também atingiu o recorde de sepultamentos, de acordo com informações do Serviço Funerário da capital, registrando um aumento de 63,1% em relação a fevereiro. Ao todo, foram 9.728 pessoas sepultadas, contra 5.964 no mês anterior.

A média diária de sepultamentos ao longo da última semana foi de 370, no município. De acordo com o Plano de Contingência apresentado pela Prefeitura, novas medidas como a abertura de dois centros de sepultamento e a contratação de 220 agentes funerários serão adotadas caso esse número se mantenha acima dos 400.

Ainda na semana passada, o Serviço Funerário de São Paulo ampliou o horário de funcionamento em quatro cemitérios da região metropolitana - Vila Formosa, São Luiz, Vila Nova Cachoeirinha e São Pedro -, que passaram a funcionar até as 22h. Para estas, foram contratados 50 novos sepultadores que ajudam com a demanda noturna. 

"O objetivo da nova medida é otimizar o serviço de sepultamento diário, a fim de amenizar o sofrimento dos familiares e garantir dignidade no momento do sepultamento", afirma a Prefeitura, em nota. Os outros 18 cemitérios sob administrados pelo município seguem com o horário de funcionamento regular, das 7h às 18h.  

De acordo com a Prefeitura, nenhum cemitério está próximo do esgotamento de vagas. Caso o número de sepultamentos diários se mantenha acima dos 400, outras medidas podem ser adotadas pela administração municipal, como a suspensão de velórios em locais públicos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.