Cidade de Votorantim (SP) entra em alerta com nove casos de leishmaniose

Doença é transmitida por mosquito e causa ferida de difícil cura; casos ocorreram no mesmo bairro

José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2010 | 18h04

SOROCABA - A cidade de Votorantim, na região de Sorocaba, entrou em alerta sanitário depois de registrar nove casos de leishmaniose cutânea - conhecida como úlcera de Bauru - desde o início do ano.

A doença é causada pela picada de um mosquito e provoca uma ferida de difícil cura. Todos os casos foram registrados no mesmo bairro, o Jardim Tatiana, na divisa com Sorocaba, e ninguém morreu.

O último diagnóstico positivo ocorreu na semana passada, e o tratamento é feito com antibióticos. Desde a última segunda-feira, equipes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) estão aplicando inseticidas nas casas. A pulverização foi estendida a locais de matas que circundam o bairro.

De acordo com o médico Marcus Marsom, foi constatada a presença do mosquito transmissor, o flebotomíneo, também conhecido como mosquito palha, em bosques e terrenos baldios do Jardim Tatiana. O foco ainda não se espalhou para regiões vizinhas.

O Departamento de Saúde Coletiva do município recomendou aos moradores que evitem entrar na mata e usem repelentes. A transmissão ocorre pela picada do mosquito fêmea, que ataca no início e no final do dia. A ferida começa com uma picada na pele, que depois de transforma em um hematoma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.