DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE QUINTANA
DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE QUINTANA

Cidade do interior de SP ganha vacina de H1N1 após ação na Justiça

Estão sendo vacinados em Quintana crianças, pessoas acima de 60 anos e gestantes, além de portadores de doenças crônicas

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2016 | 18h38

SOROCABA - Dois dias após conseguir uma liminar da Justiça Federal obrigando Estado e União a liberarem o imunizante, a prefeitura de Quintana, no interior de São Paulo, iniciou nesta quarta-feira, 20, a vacinação do grupo de risco contra a H1N1 no município. 

Desde as 13 horas, as unidades de saúde estão vacinando crianças de 6 meses a 5 anos, pessoas acima de 60 anos e gestantes, além de portadores de doenças crônicas. De acordo com o prefeito Fernando Itapuã (PSC), as vacinas repassadas pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria estadual, são suficientes para 1.400 pessoas, quase um quarto dos 6.437 moradores.

A prefeitura entrou na Justiça pedindo a vacinação imediata depois que duas pessoas morreram na cidade com H1N1, entre elas uma menina de 12 anos. Moradores chegaram a viajar para outras cidades em busca da vacina. Pelo calendário nacional, a vacinação do grupo de risco só teria início no próximo dia 30.

O prefeito queria que toda a população fosse vacinada, mas o juiz federal Alexandre Sormani, de Marília, entendeu que deve ser atendido de forma emergencial o grupo de risco. A prefeitura recorreu ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo. 

“Pretendemos seguir com essa discussão, pois achamos que a população toda, no Brasil inteiro, deve ser vacinada. Vacinar custa muito menos para a União do que tratar os doentes.” Independente disso, a prefeitura já reservou recursos no orçamento de 2017 para vacinar todos os moradores de Quintana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.