Cidade do México baixa alerta e reabre cinemas e estádios

Praças de touro e casas noturnas da capital também foram reabertas, mas observando medidas de prevenção

Efe,

07 Maio 2009 | 00h10

As autoridades sanitárias da capital mexicana baixaram na quarta-feira, 6, o alerta sanitário gerado pela gripe suína, e reabriram ao público cinemas e estádios desportivos, mas observando medidas de prevenção.

 

Veja também

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

As autoridades reduziram o alerta de laranja (elevado) a amarelo (médio), e também reabriram as praças de touro e casas noturnas da capital.

 

No dia 28 de abril, a Prefeitura restringiu as atividades em ginásios, cinemas e teatros, e desde 24 de abril os jogos de futebol foram realizados com os portões fechados, devido à epidemia.

 

Nesta quarta-feira, o Comitê Científico de Vigilância Epidemiológica e Sanitário informou que decidiu reduzir o alerta para amarelo, por isso a partir desta quinta-feira será possível reabrir os estabelecimentos que foram fechados para evitar contágios por aglomerações.

 

No entanto, a reabertura destes estabelecimentos deverá completar normas de prevenção sanitária, como "utilizar equipamento de proteção pessoal (máscaras, luvas e outros) quando estiver em contato permanente e prolongado com grupos numerosos de pessoas".

 

O secretário de Saúde da capital, Armando Ahued, disse em entrevista coletiva que a decisão foi adotada com base no comportamento do surto epidêmico nos últimos dias, tanto na cidade como no resto do país.

 

A Secretaria de Saúde federal informou que o número de mortes pela epidemia de gripe suína subiu de 29 a 42, e os contágios de 913 a 1.070.

 

No entanto, a maioria das mortes aconteceu

antes de 29 de abril, e por isso as autoridades consideram que a epidemia tende a enfraquecer, assim como a presença de casos graves entre os contagiados.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.