Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas
Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas

Cidades no interior de SP adotam toque de recolher, fecham comércio e suspendem aulas

Em cascata, cidades das regiões central, norte e oeste do Estado estão adotando medidas para tentar frear a propagação da covid-19. Pressão sobre sistema de saúde aumenta

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2021 | 05h00

SOROCABA - A segunda onda da pandemia avança pelo interior de São Paulo. Em cascata, cidades das regiões central, norte e oeste do Estado estão decretando lockdown e toque de recolher na tentativa de conter o avanço no número de casos e reduzir a lotação dos hospitais, muitos em situação de colapso. Algumas prefeituras divulgam mortes de pacientes à espera de internação, mas a Secretaria da Saúde do Estado afirma que não houve óbito por falta de leitos.

A prefeitura de Campinas, maior cidade do interior, com 1,2 milhão de habitantes, publicou decreto nesta terça-feira, 23, regredindo duas fases - da amarela direto para a vermelha do Plano São Paulo - entre 21h e 5h. Nesse período, todo o comércio fecha, inclusive bares e restaurantes.

Pelo plano estadual, a região continua na fase amarela. A medida vale agora até 1º de março, mas pode ser prorrogada. Caso não seja, a volta às aulas presenciais na rede municipal acontecerá normalmente nesse dia. Escolas e cursos, no entanto, devem encerrar as atividades às 21 horas.

O prefeito Dario Saadi (Republicanos) disse que a lotação dos hospitais, com quase 100% dos leitos SUS ocupados com casos graves, exigiu medidas mais drásticas. Nesta terça-feira, foram registradas mais 17 mortes por covid-19, elevando o número total de óbitos para 1.826. Houve ainda 672 novos casos positivos, totalizando 68.307.

A taxa de ocupação de leitos de UTI, incluindo a rede privada, atingia 90% na manhã desta terça-feira. Foram detectados casos suspeitos de variantes do coronavírus. “Estamos aguardando os exames no Adolfo Lutz sobre a nova variante. Há suspeita, mas só saberemos depois dos exames”, afirmou Saadi.

Em Paulínia, cidade vizinha, a prefeitura adiou para 5 de abril o retorno das aulas presenciais na rede municipal. A medida foi adotada devido ao aumento de casos confirmados de coronavírus. A cidade soma 6.940 infectados e 106 mortes - a última foi confirmada nesta segunda-feira, 22.

Os 14 leitos de UTI do Hospital Municipal estavam ocupados na manhã desta terça-feira pela sexta vez este mês. Em Presidente Prudente, as aulas presenciais nas redes municipal e estadual, que tinham sido retomadas, foram suspensas outra vez.  

Militares de batalhão de Pirassununga reforçam ações contra covid-19

Equipes do Exército brasileiro desembarcaram, nesta terça, em Araraquara, região centro-norte do Estado, para auxiliar no combate à pandemia.

A prefeitura prorrogou o lockdown, que terminaria à noite desta terça, por mais 78 horas, devido ao aumento nos casos e ao colapso no sistema hospitalar. Pessoas e veículos estão proibidos de circular pelas ruas, a não ser em casos emergenciais. Os militares, lotados no batalhão de Pirassununga, também no interior paulista, estão reforçando as ações contra o vírus, incluindo a sanitização de unidades de saúde e locais públicos. 

Araraquara registrou mais seis mortes na segunda, totalizando 177 óbitos desde o início da pandemia. Em boletim extraordinário, na manhã desta terça-feira, foram informados 190 novos casos positivos, chegando a 13.683 pessoas infectadas. A cidade voltou a registrar 100% de ocupação de leitos de UTI.

O município confirmou 12 pacientes com a variante brasileira do coronavírus e há outros casos em investigação.  A prefeitura estendeu até 20 horas o atendimento em unidades de saúde. Desde a tarde do domingo, quando o lockdown foi adotado, 91 pessoas foram autuadas por sair de casa sem necessidade. Elas poderão recorrer da multa de R$ 120,58 por infração.

Dracena decreta toque de recolher durante a semana e lockdown aos fins de semana

A prefeitura de Dracena, no oeste paulista, decretou toque de recolher de segunda a sexta-feira e lockdown nos fins de semana. Nesta terça-feira, 23, a Vigilância Epidemiológica confirmou mais três mortes pela covid-19.  Só as duas primeiras vítimas tinham comorbidades. Ainda segundo a chefe de Informação, Educação e Comunicação da Vigilância, por volta das 16 horas desta terça, nove pacientes aguardavam vagas em hospitais em unidades de atenção primária do municípios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.