Prefeitura de Ilhabela/Divulgação
Prefeitura de Ilhabela/Divulgação

Cidades praianas ignoram fase vermelha e abrem comércio no litoral norte paulista

O plano do governo estadual prevê o funcionamento apenas de serviços essenciais em Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela. Prefeitos alegam que comércio precisa aproveitar o resto da alta temporada para recuperar prejuízos

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2021 | 17h43

SOROCABA - As quatro cidades com praias no litoral norte do Estado de São Paulo, que estão na fase vermelha do Plano São Paulo de enfrentamento à covid-19, decidiram abrir o comércio em geral, academias, restaurantes e quiosques nas praias. O plano do governo estadual prevê o funcionamento apenas de serviços essenciais nesses municípios - Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela. Os prefeitos alegam que o comércio precisa aproveitar o que resta da alta temporada do verão para se recuperar de prejuízos acumulados ao longo da pandemia.

Em Ubatuba, o decreto de liberação publicado nesta quarta-feira, 3, abrange desde os serviços de hospedagem até museus, aquário, cinemas e galerias. O comércio em geral, shoppings, restaurantes e quiosques podem abrir das 6 às 22 horas, com 40% da capacidade. Também foi liberado o comércio de ambulantes e locações de faixas de areia das praias para guarda-sóis, cadeiras e similares. Só não pode vender bebida alcoólica das 20 às 6 horas do dia seguinte.

Em Caraguatatuba, o decreto liberou também atividades náuticas e esportivas, eventos, convenções, academias e salões de beleza, além de permitir a volta às aulas nas instituições de ensino. O decreto levou em conta a evolução epidemiológica favorável da covid-19, com queda no número de casos e mortes, segundo o decreto. Os prefeitos disseram que já pediram ao governo estadual a abertura de mais leitos no Hospital Regional de Caraguatatuba e não foram atendidos.

Ilhabela também reabriu restaurantes, marinas, quiosques e o comércio ambulante nas praias. O prefeito Toninho Colucci (PL), disse que a fase vermelha impacta a economia do litoral em momento que seria de recuperação, durante a alta temporada. “Estamos avançando para a fase laranja com responsabilidade, abrindo o comércio com controle, sob nossa responsabilidade”, afirmou. Na tarde desta quinta, a travessia no serviço de balsa para acesso à ilha já tinha fila e espera de ao menos 30 minutos.

Em São Sebastião, as praias estavam praticamente lotadas de banhistas na manhã desta quinta-feira, 4, e havia até congestionamento em vias de acesso. O prefeito Felipe Augusto (PSDB) disse ter havido um entendimento entre os prefeitos da região para a retomada das atividades, apesar das restrições do Plano São Paulo. “Fechar o comércio nessa situação, como fez o Estado, não é a solução. A cidade vive a temporada de verão, quando o comércio tem condições de recompor parte dos prejuízos causados pela pandemia.”

As quatro cidades somam mais de 16 mil casos positivos e quase 300 mortes pela Covid 19. Os números são puxados por Caraguatatuba, com 8,7 mil casos e 150 óbitos. Em janeiro, as cidades tiveram 4.390 casos novos, o maior número em 30 dias registrado desde o início da pandemia. O crescimento é atribuído às festas de fim de ano, com reabertura de praias. A lotação dos hospitais aumentou e algumas unidades, como o Hospital das Clínicas de São Sebastião, quase entraram em colapso por falta de oxigênio.

O secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, disse que as prefeituras devem respeitar as regras do plano estadual. Segundo ele, para os prefeitos do litoral norte, a saúde pública está ficando em segundo plano. “Pedem ao mesmo tempo a abertura de vagas em hospital (referia-se ao Regional de Caraguatatuba) e a abertura de restaurantes e bares. Notificamos as prefeituras e encaminhamos os casos para o Ministério Público”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.