Cientistas criam linha de produção de 'pele artificial'

Pesquisadores da Alemanha utilizaram amostras de tecido humano no processo.

Da BBC Brasil, BBC

10 de dezembro de 2008 | 16h57

Cientistas da Alemanha anunciaram ter desenvolvido um processo totalmente automatizado e mais barato para melhorar a produção de pele artificial a partir de uma amostra de pele humana.O tecido criado também poderá ser usado para testar produtos químicos a um custo mais baixo e sem o uso de animais, além de transplantes de pele para humanos."Até o momento, os métodos para cultura de tecidos como os usados em transplantes de pele eram muito caros", disse o professor Heike Mertsching, do Instituto Fraunhofer para Engenharia Interfacial e Biotecnologia (IGB) em Stuttgart."A maioria dos processos é manual, o que significa que o processo não é particularmente eficiente", acrescentou.O transplante de pele é um processo que requer muito cuidado e um transplante que visa cobrir áreas maiores geralmente necessita de várias operações.Cientistas têm tentado há tempos cultivar tecidos artificiais, e a descoberta da equipe alemã pode permitir um tratamento melhor e mais rápido.Braço mecânicoPara iniciar o processo de produção, uma amostra de tecido humano é analisada para verificar sua esterilidade.Um braço mecânico então leva a amostra de tecido humano para o dispositivo automático em que a pele artificial será produzida.A máquina então corta a amostra em pedaços pequenos, isola os tipos diferentes de células, estimula o crescimento destas células e mistura as células de pele com colágeno.Uma reconstrução tridimensional das diferentes camadas da pele é produzida com a ajuda de um gel matriz especial - e, então, a pele está pronta.Na etapa final do processo, a máquina embala as células para o envio. Outro método que pode ser usado é a preservação do tecido por meio de criogenia, congelado e estocado para uso no futuro."Era importante para nós dividir todo o processo mecânico em módulos separados", afirmou o professor Heike Mertsching. "Isso nos permite substituir ou modificar os módulos individuais."O novo método de produção de pele artificial abre novas possibilidades para os cientistas. Um dos próximos projetos da equipe de Stuttgart é a produção de tecido intestinal para testes de reabsorção.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
peleartificialuniversidadepesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.