Paulo Roberto Urbinatti/Divulgação
Paulo Roberto Urbinatti/Divulgação

Cientistas da USP são homenageados com novas espécies de insetos

Pertencentes ao grupo de transmissão da leishmaniose, os insetos Nyssomyia delsionatali e Nyssomyia urbinattii fazem tributo a Delsio Natal e Paulo Urbinatti

Agência Fapesp

13 de abril de 2012 | 14h26

Duas novas espécies de insetos, pertencentes ao grupo envolvido na transmissão da leishmaniose, foram nomeadas em homenagem a dois pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP).

 

As espécies foram descobertas pela professora Eunice Bianchi Galati, do Departamento de Epidemiologia da FSP, juntamente com Fredy Galvis Ovallos, seu orientando do Programa de Pós-Graduação.

 

Os nomes dos insetos, Nyssomyia delsionatali e Nyssomyia urbinattii, homenageiam respectivamente Delsio Natal, docente aposentado do Departamento de Epidemiologia da FSP, e Paulo Urbinatti, pesquisador do mesmo departamento. De acordo com a FSP, ambos contribuíram para ampliar o conhecimento da entomologia em saúde pública e investigaram a área onde os insetos foram coletados.

 

"A denominação de uma espécie deve ser feita em latim e descrita de forma a se destacar do texto (itálico, negrito, etc.). Podemos dar um nome homenageando uma pessoa ou lugar, ou em referência a uma característica morfológica do inseto ou de seu comportamento, ou de área onde habita, etc. A seguir ao nome da espécie, acrescenta-se o nome do(s) autor(es) e o ano da descrição. O nome da espécie deve sempre ser precedido pelo do gênero a que pertence", explicou Galati.

 

"Quando se homenageia uma pessoa, podemos nos referir a parte de seu nome ou ao nome completo. Se o nome for composto, os dois nomes devem ser escritos juntos. Se a homenagem é feita a alguém do sexo masculino, acrescenta-se ‘i’ ao final do nome, e se for do sexo feminino, ‘ae’", disse.

 

Galati conduz o projeto de pesquisa "Estudo da capacidade vetorial de Migonemyia migonei e de Pintomyia fischeri para Leishmania", apoiado pela FAPESP. A descrição das duas espécies foi feita na edição de março do Journal of Medical Entomology, sendo os desenhos da cabeça do macho e da fêmea de Ny. Urbinattii tema na capa da revista.

O artigo com a descrição está publicado em: www.ingentaconnect.com/content/esa/jme/2012/00000049/00000002/art00003.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.