Cientistas de cinco países avaliam pesquisas de câncer em hospital de SP

Objetivo da visita estrangeira ao Hospital A.C. Camargo era avaliar os tratamentos de modo a propor soluções para aumentar a qualidade dos trabalhos já realizados

Agência Brasil,

14 de março de 2012 | 10h23

Um grupo de cientista de cinco países esteve nesta última terça, 13, no Hospital A.C. Camargo, na capital paulista, para avaliar as pesquisas desenvolvidas pela instituição, especializada no tratamento de câncer. Eles vão propor soluções para aumentar a qualidade dos trabalhos feitos no hospital e acompanhar periodicamente o desenvolvimento dos estudos.

O diretor de pesquisa do hospital filantrópico, Fernando Soares,  explicou que os cientistas avaliaram todos os aspectos da instituição para dar um retorno qualificado sobre os trabalhos desenvolvidos. “Eles estão avaliando tudo, desde condições físicas, número de estudantes, orçamento, qualidade dos projetos. Então a gente espera ao final dessa reunião ter um balizamento de pessoas de sucesso, como cientistas, para nos mostrar exatamente se estamos no caminho certo”, destacou.

Além disso, Soares ressaltou que a visita dará visibilidade internacional às pesquisas feitas no hospital e que envolvem 174 estudantes e cerca de 80% dos 400 oncologistas do corpo clínico. “Essa exposição para cientistas desse peso internacional é muito importante no amadurecimento das pessoas e no acompanhamento das pesquisas”, disse o diretor que apontou como diferencial do A.C. Camargo as investigações focadas nos pacientes. “ Embora seja um grupo que faz pesquisa básica, a nossa principal pesquisa é para o paciente”.

Um dos membros do grupo internacional, o imunologista português Antônio Coutinho, que dirige o Instituto Gulbenkian de Ciência, ressaltou como um dos pontos fortes do hospital, a ligação entre a investigação científica e o atendimento clínico. “As impressões são muito positivas até agora. Estamos todos muito impressionados com a qualidade do hospital e da assistência que é prestada aqui, do cuidado com os doentes e das tecnologias”, disse.

O virologista alemão Harald zur Hausen, ganhador de um Prêmio Nobel de Medicina, também elogiou o trabalho desenvolvido no hospital. É uma instituição dedicada principalmente a pesquisa sobre câncer. E o câncer é um grande problema nesses países. Todo esforço tem que ser feito para melhorar a situação aqui e globalmente. E aqui nós temos uma excelente equipe contribuindo bastante”, disse sobre a instituição que atende 15 mil novos casos de câncer por ano.

 

Tudo o que sabemos sobre:
CâncerhospitalSPpesquisasaúdeVida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.