Reuters
Reuters

Cientistas descobrem maneira de mapear complexidade do cérebro

Estudo é parte de uma área emergente da neurociência chamada 'conectomia', que busca mapear as conexões do cérebro

Reuters

10 Abril 2011 | 17h33

Cientistas anunciaram ter dado mais um passo para desenvolver um modelo computadorizado do cérebro depois de terem encontrado, pela primeira vez, uma maneira de mapear conjuntamente as conexões e as funções das células nervosas do cérebro.

Num estudo da revista Nature neste domingo, pesquisadores do University College London (UCL) descreveram uma técnica desenvolvida num camundongo que os possibilitou combinar informações sobre funções dos neurônios com detalhes das suas conexões.

O estudo é parte de uma área emergente da neurociência chamada "conectomia", que busca mapear as conexões do cérebro.

Ao poderem mapear essas conexões, cientistas esperam entender como pensamentos e percepções são gerados e como essas funções deixam de operar e resultam em doenças como Alzheimer, esquizofrenia e derrames.

"Estamos começando a desvendar a complexidade do cérebro", afirmou Tom Mrsic-Flogel, que liderou o estudo.

"Quando compreendermos a função e a conectividade das células nervosas nas diferentes camadas do cérebro, podemos começar a desenvolver uma simulação computadorizada de como esse notável órgão funciona."

Mas ele disse que ainda levará muitos anos de trabalho científico e grande poder de processamento antes que isso possa ser feito.

Mais conteúdo sobre:
cérebro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.