Efe/Brian Curry/Rutgers University
Efe/Brian Curry/Rutgers University

Cientistas descobrem nova espécie de rã em plena cidade de Nova York

Anfíbio ainda não foi batizado; com pontos negros pelo corpo parece com variedade comum de rã-leopardo

Efe,

16 de março de 2012 | 08h23

 Uma nova espécie de rã, que passou despercebida durante mais de um século por ser muito parecida com uma variedade muito comum de rã-leopardo, foi descoberta no bairro nova-iorquino de Staten Island por um grupo de cientistas.

"No meio de alguns dos arranha-céus mais altos do mundo e com vista para a Estátua da Liberdade, cientistas encontraram uma nova espécie de rã", destaca a Universidade Rutgers, em Nova Jersey, onde estuda Jeremy Feinberg, responsável pela descoberta.

O anfíbio, que se caracteriza pelos pontos negros que cobrem seu corpo e que ainda não foi batizado, passou despercebido durante décadas por sua semelhança com a rã-leopardo sulina, mas os testes de DNA aos quais foi submetido confirmaram que não era a mesma.

Os pesquisadores acreditam que a nova espécie é provavelmente a mesma variedade de rã-leopardo que havia desaparecido totalmente de Long Island (Nova York) e outras áreas nas últimas décadas.

"Apesar de descobrir novas espécies ser comum em selvas remotas, encontrar esta nos tanques e pântanos de Staten Island foi uma grande surpresa" para a equipe de cientistas, detalhou a instituição no comunicado.

Feinberg estava estudando a rápida diminuição no número de rãs-leopardo quando constatou que algumas delas coaxavam de maneira distinta.

"Acreditava plenamente que os resultados apoiariam a ideia que era uma nova espécie", declarou o estudante, acrescentando que "desde o final de 1800 os cientistas especulavam sobre a raridade de algumas rãs, mas até a chegada da biologia molecular era difícil provar alguma coisa".

Tudo o que sabemos sobre:
Nova Yorkrã-leopardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.