Divulgação
Divulgação

Cientistas descobrem oficina artística usada há 100 mil anos

Lugar servia para fabricar e armazenar ocre, o primeiro pigmento para pintura da história

Efe,

13 de outubro de 2011 | 19h29

 Um grupo de pesquisadores descobriu na África do Sul uma oficina artística criada há 100 mil anos por humanos primitivos. O lugar serviu para fabricar e armazenar ocre, o primeiro pigmento para pintura da história.

O uso do ocre, uma tinta feita essencialmente de terra tingida, já havia sido datado em 60 mil anos. O estudo publicado na última edição da Science, no entanto, mostra que os humanos primitivos não só utilizavam o ocre há muito mais tempo como também estabeleceram um método para sua produção e armazenamento.

Os pesquisadores, coordenados por Christopher Henshilwood, do Instituto da Evolução Humana na Universidade de Witwatersrand, em Johannesburgo, na África do Sul, descobriram a oficina artística pré-histórica em 2008, na Caverna Blombos, na Cidade do Cabo.

No armazém primitivo encontraram ferramentas para martelar, pedras afiadas para fazer pó de ocre e duas conchas de caracol marinho que foram utilizadas para guardar uma mistura vermelha rica em ocre e que foi misturada com medula de animais e carvão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.