Cientistas dos EUA desenvolvem 'pílula da boa forma'

Drogas foram testadas em camundongos e melhoraram desempenho físico das cobaias.

Da BBC Brasil, BBC

01 de agosto de 2008 | 18h24

Cientistas americanos anunciaram que estão mais perto de lançar uma pílula que melhora o desempenho físico das pessoas, mesmo que a pessoa não mexa um músculo para isso.A publicação científica Cell traz um artigo sobre um estudo de pesquisadores americanos que dizem ter testado duas pílulas que conseguiram desenvolver músculos, aumentar o vigor e levar à queima de gorduras.Eles realizaram testes com camundongos, que conseguiram correr 44% mais após receberem uma das drogas - sugerindo que ela teria efeito semelhante sobre os seres humanos.A idéia é polêmica porque há temores de que pílulas desse tipo possam ser usadas de maneira inadequada em esportes.GenesAs duas drogas, chamadas AICAR e GW1516, parecem ter um impacto em um gene envolvido na formação de músculos.Esse gene - chamado PPAR-delta - tem a habilidade de controlar a atividades de outros genes. Por isso, poderia, em teoria, ter um efeito generalizado na maneira como o corpo funciona.Nos testes com os camundongos, os pesquisadores inicialmente alteraram geneticamente os animais para aumentar a atividade desse gene, o que levou ao desenvolvimento de músculos com mais propensão para queimar gordura.A próxima etapa foi produzir efeitos semelhantes aos da alteração genética, mas com o uso de drogas.A primeira pílula, com a droga GW1516, também teve o efeito de aumentar a queima de gorduras, mas só levou a mudanças no desempenho dos camundongos em exercícios depois que os animais foram submetidos a longas sessões de esteira. Depois disso, eles passaram a correm 77% mais tempo.A outra droga, AICAR, foi um passo além, agindo de uma maneira diferente sobre o desenvolvimento muscular.Dessa vez, os animais não precisaram receber treinamento adicional. Depois de apenas quatro semanas recebendo a pílula, eles conseguiram correr 44% mais.ResultadosSegundo Ronald Evans, pesquisador do Instituto Médico Howard Hughes e do Instituto Salk, na Califórnia e um dos responsáveis pelo estudo, as duas versões poderiam um dia ser benéfícas aos humanos."Se você gosta de exercícios, você vai adorar a idéia de obter mais resultados pelo que faz", disse. "Se você não gosta de exercícios, você vai adorar a idéia de obter os mesmos resultados (de quem faz exercícios) com uma pílula."No entanto, Colin Palmer, um professor da Universidade de Dundee, disse que a idéia é polêmica."Isso é, basicamente, uma droga que aumenta o resultado de um treinamento. O que é suspeito é o conceito de uma droga que melhora o desempenho para esportistas."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.