Cientistas estudam uso de CO para tratar transplantes

Ministrado em doses baixas, gás tóxico poderia reduzir a rejeição, dizem cientistas.

BBC Brasil, BBC

21 de outubro de 2007 | 16h05

Cientistas disseram ter desenvolvido um método para ajudar pacientes a se recuperarem de cirurgias de transplantes de órgãos utilizando monóxido de carbono (CO).Embora o gás seja letal se administrado em volumes elevados, pode ajudar a dilatar vasos sanguíneos e diminuir inflamações se aplicado em doses menores, disseram os pesquisadores da Universidade de Sheffield.O tratamento, que utilizaria CO por meio de moléculas capazes de transportar o gás, poderia começar a ser aplicado em 2010.Segundo os pesquisadores, o método poderia ter outras aplicações, entre elas o tratamento de doenças inflamatórias, como artrite reumatóide e hipertensão pulmonar.Inalar o monóxido de carbono de maneira convencional traria um risco elevado para pacientes e médicos expostos ao gás.O tratamento eliminaria este risco, disse o professor Brian Mann, co-autor das pesquisas junto com o colega Roberto Motterlini no Instituto de Pesquisas Médicas Northwick Park.O sistema consiste em injetar no organismo ou tomar moléculas solúveis em água que liberam CO (CORM, pela sigla em inglês).O professor Mann disse que as moléculas "se dissolvem na água e podem ser produzidas de forma líquida". Isso, diz ele, permite que elas se incorporem rapidamente à corrente sanguínea. Outra maneira é administrá-las por injeções."É uma forma muito mais segura de administrar monóxido de carbono", disse o professor.Segundo Mann as moléculas podem ser "programadas" para se concentrar em um lugar específico do corpo. No caso de pacientes recuperando-se de transplantes, o órgão doado poderia ser tratado para minimizar o risco de rejeição.O cientista Ian Fairlamb, da Universidade de York, disse que já há outros cientistas pesquisando novas técnicas para produzir CORMs a partir do trabalho pioneiro de Motterlini."A princípio, pode parecer surpreendente que o CO seja benéfico, porque é um gás tóxico", explicou."Mas pequenas doses de CO podem provocar uma ampla gama de efeitos biológicos que podem ser usados em muitas aplicações terapêuticas."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.