Cientistas europeus tentam combater a ressaca natalina

Pesquisadores financiados pela União Europeia (UE) podem ter descoberto uma forma de amenizar a ressaca das festas ao substituir os conservantes químicos do vinho que podem provocar dores de cabeça.

Reuters

21 Dezembro 2012 | 16h20

Acadêmicos europeus, produtores de vinho e pesquisadores de alimentos descobriram dois extratos contidos no vinho para substituir o dióxido de enxofre, uma substância química natural que preserva o vinho, mas pode deflagrar dores de cabeça e ataques de asma nos que são alérgicos a ela.

"Pesquisadores europeus fizeram progresso no sentido de encontrar uma alternativa a acrescentar dióxido de enxofre ao vinho tinto e outros víveres, como frutas secas, na esperança de tornar as temporadas festivas do futuro mais saudáveis para milhões de pessoas", disse a Comissão Europeia, que contribuiu com 3 milhões de euros para o projeto iniciado em 2009.

Os testes com consumidores dos primeiros vinhos tintos produzidos com os extratos mostraram que os amantes do vinho não perceberam nenhuma diferença com relação aos vinhos comuns.

Um porta-voz do projeto afirmou que por enquanto o nome dos extratos tem sido mantido em sigilo.

No mês que vem, os pesquisadores abrirão outro lote de vinhos engarrafados em maio e, se os novos testes com consumidores forem bem-sucedidos, o processo de licenciamento para o produto pode começar.

O projeto também descobriu formas de substituir o dióxido de enxofre das frutas desidratadas, usado para evitar que escureçam ou mofem.

(Reportagem de Karolin Schaps)

Mais conteúdo sobre:
CIENCIAPESQUISARESSACA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.