Cientistas recomendam armazenar remédios para gripe

Especialistas apostam em uma pandemia do vírus neste ano e defendem uso de variados remédios no tratamento

Efe

14 de maio de 2008 | 15h13

Cientistas do Reino Unido recomendam aos países estocar vários tipos de medicamentos antivirais para combater uma possível epidemia do vírus da gripe, em vez de armazenar um único remédio.   Em artigo publicado hoje pela revista científica britânica Nature, os pesquisadores do National Institute for Medical Research asseguram que, devido à alta taxa de mutação do vírus da gripe, é preciso contar com diversos remédios para tratar a doença.   As reservas de antivirais são uma "importante arma contra a ameaça de uma pandemia de gripe", principalmente se o vírus da gripe aviária, o H5N1, conseguir se propagar entre humanos.   No entanto, o armazenamento destes antivirais poderia tornar cada vez mais difícil o combate ao vírus, pois este sofre mutações muito rapidamente podendo se tornar cada vez mais 'resistente' e perigoso. Os antivirais mais utilizados atuam contra a proteína neuramidase, que ajuda na proliferação de novos vírus e na infecção de células saudáveis.   A partir de amostras obtidas de pacientes infectados com o vírus H5N1, os pesquisadores do National Institute for Medical Research estudaram a estrutura e propriedades das distintas mutações dessa proteína.   A equipe descobriu que as mutações do vírus tinham resistência ao oseltamivir - conhecido como Tamiflu -, o remédio antiviral mais utilizado, mas que eram afetadas pelo zanamivir.   Através destes resultados, os cientistas aconselham que não seja armazenada só uma dose de oseltamivir, mas que se aumentem as reservas com outros remédios antivirais, incluindo zanamivir, e que o tratamento inclua a combinação de medicamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
gripeepidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.