Cientistas testam substância que pode resultar em pílula contra jet lag

Moléculas de substâncias testadas em ratos permitiram controle de atividade de relógio biológico

BBC Brasil, BBC

24 de agosto de 2010 | 06h06

Uma pesquisa feita por cientistas na Grã-Bretanha sobre uma substância que regula o relógio biológico pode levar a criação de remédios contra o jet lag - os problemas fisiológicos causados pela mudança de fuso horário em viagens.

Os cientistas da Universidade de Manchester testaram em camundongos uma substância que reduz a atividade dos ritmos circadianos, que controlam o relógio biológico do corpo humano.

Eles também conseguiram alterar os ciclos em camundongos que estavam dormindo, ao inibir uma enzima no corpo dos animais.

Segundo os cientistas, a pesquisa abre caminho para o desenvolvimento de uma pílula capaz de eliminar os efeitos do jet lag.

Os efeitos da falta de sintonia entre o relógio biológico e o dia são comuns entre pessoas que viajam de um fuso horário para outro, ou entre aqueles que trabalham em turnos noturnos.

Alguns dos sintomas mais agudos são fadiga, irritabilidade, desatenção, indigestão, perda de memória e dificuldade de concentração.

A pesquisa da Universidade de Manchester, da Medical Research Council, e da empresa farmacêutica Pfizer foi publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Ciclo circadiano

Muitas das atividades biológicas do corpo em mamíferos, como o sono, são controladas pelo ciclo circadiano, um mecanismo interno do corpo que regula o comportamento nos ciclos de noite e dia.

Alterações nos ritmos circadianos também ocorrem em doenças como o transtorno bipolar. Os cientistas acreditam que um medicamento para regular o relógio biológico também poderia beneficiar pacientes desses transtornos.

Mudanças na atividade da enzima caseína quinase 1 ajustam a forma como o relógio biológico se comporta, tornando possível que se possa adaptar o corpo a outros ciclos e fusos horários usando substâncias químicas.

Um relógio biológico de 24 horas, por exemplo, pode se tornar um relógio de 25 horas.

"Considere que seu corpo de uma hora para a outra passa a trabalhar 23 horas, ou 25 horas por vez. Muitos dos seus processos naturais, como dormir e caminhar, logo estariam fora de sintonia com o dia e a noite", disse Andrew Loudon, que trabalhou na pesquisa.

Para alterar os níveis da enzima, os cientistas usaram duas moléculas nas suas experiências.

"Nós descobrimos que é possível usar as substâncias para sincronizar o relógio biológico de um camundongo. Então pode ser que uma substância semelhante trate uma série de problemas de saúde associados às interrupções dos ritmos circadianos", disse Loudon.

"Isso inclui algumas doenças psiquiátricas e alguns transtornos circadianos de sono. Também pode ajudar as pessoas a lidarem com o 'jet lag' e com a mudança dos turnos de trabalho." BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.