Cientistas transformam células-tronco em células do coração

Transplantadas para animais com problemas cardíacos, as células os ajudaram a melhorar, diz o estudo

EFE,

23 de abril de 2008 | 14h29

Uma equipe de cientistas conseguiu desenvolver três tipos de células cardíacas humanas a partir de células-tronco embrionárias, submetidas a um tratamento químico, diz estudo publicado na edição desta semana da revista Nature. O sucesso, anunciado por pesquisadores americanos e britânicos, aumenta a chance de se criar, em laboratório, tecidos para pacientes que aguardam transplantes.    Veja o batimento das células criadas em laboratório  Entenda o uso das células-tronco  Debate Estadão    A equipe tratou as células embrionárias com um coquetel de fatores de crescimento e moléculas envolvidas no desenvolvimento celular. Com a administração dos fatores de crescimento corretos no ponto preciso do desenvolvimento, as células-tronco convertem-se em progenitoras de três tipos de células essenciais para o funcionamento do coração: caridiomiócitos, endoteliais e do músculo liso vascular.   Os cientistas transplantaram uma mistura das células obtidas em ratos de laboratório com enfermidades cardíacas induzidas, e obtiveram uma melhora no estado de saúde dos animais.   O principal responsável pelo estudo, Gordon Keller, acredita que deverá ser possível obter o desenvolvimento das três linhagens de célula separadamente, o que ajudaria os cientistas a compreender melhor o desenvolvimento do coração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.